Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização dos efeitos de extratos de glândulas salivares de vetores hematófagos em modelos experimentais de artrite reumatoide e psoríase

Processo: 16/09900-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Fernando de Queiroz Cunha
Beneficiário:Dandara Camila Morais Pereira Fonseca
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08216-2 - CPDI - Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias, AP.CEPID
Assunto(s):Doenças autoimunes   Imunofarmacologia   Artrite reumatoide

Resumo

As doenças inflamatórias autoimunes são de difícil tratamento, possivelmente porque os agentes desencadeadores, os auto-antígenos, não podem ser eliminados. Ainda, as opções de tratamento são limitadas e, em alguns casos ineficientes, devido ao conhecimento limitado dos mecanismos moleculares envolvidos nessas doenças. Neste contexto, o Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias (CRID, Processo 2013/ 08216-2) tem como um de seus objetivos o entendimento dos processos fisiopatológicos que levam o desenvolvimento dessas doenças inflamatórias. Além disto, o CRID investiga produtos naturais de origem vegetal e animal (extratos de glândulas salivares; EGSs) visando o desenvolvimento de novas terapias para as doenças investigadas. Com relação aos estudos com produtos de origem animal, o nosso grupo verificou que os EGSs dos vetores hematófagos, Aedes aegypti (vetor do vírus da dengue e da febre amarela), Rhodnius neglectus (vetor do protozoário T. cruzi) e Phlebotomus papatasi (vetor do protozoário do gênero Leishmania) apresentaram efeitos antiinflamatórios em diferentes modelos experimentais murinos de artrite reumatoide (AR); como a inibição da migração de neutrófilos para as articulações e diminuição da dor (nocicepção) em animais artríticos. Além disso, demostramos que o EGS do Aedes aegypti reduziu significativamente o score clínico da psoriasis induzida por imiquimod. No momento estamos trabalhando no isolamento das substancias responsáveis pelas atividades observadas em colaboração com Anderson Sá Nunes e José Marcos Ribeiro (ICB-USP e NIH-USA, respectivamente). Esse conjunto de resultados positivos nos estimula ampliar os estudos para EGSs de outros vetores de doenças humanas. Assim, o objetivo do presente plano de atividades é investigar se os EGSs de morcegos da espécie Desmodus rotundus (vetor do vírus da raiva) e do Rhodnius prolixus (vetor do protozoário T. cruzi) também apresentam atividades antiinflamatórias e imunomoduladoras em modelos de RA e psoriasis. Em seguida, será identificado qual (is) constituinte(s) salivar(es) presente(s) neste(s) EGS(s) é(são) responsável(is) por tal(is) atividade(s) e também determinar o mecanismo de ação pelo(s) qual(is) este(s) componente(s) isolado(s) salivar(es) age(m). Para isto, utilizaremos dois diferentes modelos de artrite experimental: 1)AIA (artrite induzida por antígeno), neste modelo é feita uma imunização com antígeno exógeno (mBSA ou OVA) para se avaliar a influência do tratamento com os EGSs na montagem da resposta imunológica adaptativa local na articulação; 2) ZIA (inflamação intrarticular de origem não imune), neste modelo é injetado Zymosan na articulação, provocando inflamação local e tem como objetivo avaliar a fase aguda e inata da resposta imunológica local frente ao tratamento com os EGSs. Os isolamentos das substancias ativas serão realizadas em colaboração com os Prof. Anderson Sá Nunes (ICB-USP) e José Marcos Ribeiro (NIH-USA).