Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da inibição da deacetilação de histonas na propagação da morte neuronal e na recuperação funcional após transecção da medula espinhal de ratos

Processo: 15/24774-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Pesquisador responsável:Vera Paschon
Beneficiário:Felipe Fernandes Correia
Instituição-sede: Centro de Matemática, Computação e Cognição (CMCC). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/12112-9 - Clonagem e preparação de retrovírus para super expressão de EZH2 em cultura primária de cristalino, BE.EP.IC
Assunto(s):Neurogenética   Traumatismos da medula espinal   Transcrição genética   Análise funcional   Imuno-histoquímica   Reação em cadeia por polimerase (PCR)   Modelos animais

Resumo

A lesão medular pode ocorrer em diversas situações como acidentes com meios de transportes, quedas e brigas com arma de fogo ou armas brancas levando a paraplegia ou tetraplegia, que são condições desabilitantes e por isso de grande consideração para a medicina. Estudos indicam que a paraplegia ou tetraplegia, além de desabilitar a pessoa para caminhar com suas próprias pernas, aumenta as chances do paciente ter infecção do trato urinário, fraturas, tromboses, problemas cardiovasculares, tumores e até depressão. Após o dano inicial da lesão, ocorre uma ativação do sistema inflamatório que acaba agravando os efeitos da lesão. Muitos processos de modificações na cromatina (epigenética) têm sido relacionados com os efeitos secundários à lesão. Aparentemente, a inibição de enzimas histona deacetilases pode diminuir a inflamação e ajudar na recuperação da função motora após a lesão medular, porém ainda não há muitos conhecimentos a respeito da inibição de genes do complexo Policomb que atuam como repressores da transcrição gênica. Portanto, o objetivo deste projeto é avaliar o dano neuronal e a melhora funcional de ratos wistar submetidos à lesão medular por transecção após a aplicação de ácido valpróico e inibidor de EZH2 no local da lesão. Após a lesão medular e aplicação de fármacos, as funções motoras serão testadas por avaliação neurológica, campo aberto, análise de pegadas e rotarod após 1, 7 e 14 dias. Animais com 1, 7 e 14 dias após a lesão serão submetidos à eutanásia por meio de decapitação após anestesia e em seguida, um segmento da medula torácica será dissecado para experimentos moleculares como TUNEL, imuno-histoquímica e PCR em tempo real para avaliação da propagação da morte celular secundária à lesão e descrição funcional de genes do complexo Policomb como o SUZ12 e o EZH2.