Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do potencial de produção de etanol 1G por levedura termotolerante

Processo: 16/06546-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 31 de maio de 2017
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Processos Industriais de Engenharia Química
Pesquisador responsável:Rosineide Gomes da Silva Cruz
Beneficiário:Bruna Marques Tobal
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Engenharia bioquímica   Etanol   Processos químicos   Saccharomyces cerevisiae   Produção   Destilação em batelada   Ensaios químicos   Fermentação   Dióxido de carbono

Resumo

Este projeto de iniciação científica tem como objetivo dar continuidade aos estudos do processo de produção de etanol 1G realizados na área de Engenharia Bioquímica do Departamento de Engenharia Química da Universidade Federal de São Carlos. Apesar da produção de etanol no Brasil fazer uso de tecnologia considerada madura, ainda há espaço para a implementação de melhorias no processo. A proposta de IC está inserida na temática que aborda o estudo da etapa de fermentação empregando fonte de carbono (açúcares redutores) proveniente do sorgo sacarino e da cana-de-açúcar. A produção de etanol por via fermentativa consiste em uma série de reações químicas catalisadas pela levedura Saccharomyces cerevisiae, em temperaturas na faixa de 30 a 34oC. Durante o processo há a necessidade de remoção de calor das dornas, de forma a não diminuir a viabilidade celular, o que resultaria em queda na produção de etanol. Assim, a busca por leveduras que fermentam em temperaturas acima de 34oC e que tenham boa produtividade em etanol tem ganhado destaque na literatura. Diante disso, o projeto proposto visa avaliar o processo de produção de etanol empregando linhagem de levedura termotolerante. Pretende-se realizar ensaios no modo batelada em temperaturas na faixa de 30 a 45oC. A temperatura que fornecer os melhores resultados de produtividade em etanol será utilizada em cultivo no biorreator. A partir dos dados experimentais serão estimados os parâmetros cinéticos de modelo matemático do processo. Em trabalho desenvolvido pelo grupo que avalia a produção de etanol por fermentação extrativa empregando CO2 como gás de arraste, verificou-se que temperaturas mais elevadas favorecem o arraste de etanol. Assim, este trabalho pode contribuir para a utilização de temperaturas maiores no processo de produção de etanol por fermentação extrativa, que até o momento foi de 34oC.