Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação das propriedades antitumorais dos peptídes antimicrobianos G(IIKK)nI-NH2 em células de melanoma humano

Processo: 16/06252-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Celular
Pesquisador responsável:Manoel de Arcisio Miranda Filho
Beneficiário:Maria Rosa de Sá Santos
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neurobiologia   Neoplasias   Anti-infecciosos   Antineoplásicos   Melanoma   Citotoxicidade   Propriedades físico-químicas   Dicroísmo circular   Citometria de fluxo

Resumo

Liderando o ranking das principais causas de morte no mundo, o câncer ainda permanece sem tratamentos eficazes alternativos a quimioterapia, que permanece como principal tipo de tratamento atualmente. Com poucas alternativas a esse tipo de tratamento, peptídeos antimicrobianos (AMPs) se destacam como promissores agentes antitumorais. Sendo produto do sistema imune de animais, plantas e insetos, essa classe possui participantes que, além de efeitos antimicrobianos, têm efeitos tumoricidas. Chen e seus colaboradores (2011) sintetizaram os peptídeos G (IIKK)nI-NH2 (n = 14), que são exemplos de AMPs com atividade antitumorais. Essa família de peptídeos apresentou eficiente ação tumoricida, em três linhagens de células neoplásicas, e baixa citotoxicidade em duas linhagens de células normais. Dessa forma, o presente projeto tem como objetivo estender os estudos realizados com estes peptídeos, buscando entender as propriedades físico-químicas da interação e o mecanismo de morte desencadeado pelos mesmos em células de melanoma humano, um dos tipos mais agressivos de câncer de pele, através de ensaios de viabilidade celular e citometria de fluxo. A influência da alteração de composição de membrana, uma característica comum durante o desenvolvimento do câncer, será estudada através de ensaios com modelos miméticos de membrana em experimentos de dicroísmo circular e liberação de marcador fluorescente. O conjunto de resultados fornecido por este projeto tem potencial para elucidar as bases da interação entre essa família de peptídeos e células de melanoma humano, contribuindo para o avanço das pesquisas relacionadas ao desenvolvimento de novos fármacos para o tratamento de câncer.