Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de modificadores químicos epigenéticos no cultivo de fungos endofíticos associados à Paepalanthus chiquitensis (Eriocaulaceae) e avaliação da atividade antimicrobiana

Processo: 16/05480-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2016
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Lourdes Campaner dos Santos
Beneficiário:Felipe Hilário
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/01620-6 - Novas estratégias para acessar metabólitos secundários de fungos com foco na descoberta de agentes antimicrobianos contra micro-organismos resistentes, BE.EP.DR
Assunto(s):Anti-infecciosos   Micro-organismos endofíticos   Eriocaulaceae   Química de produtos naturais

Resumo

O presente projeto propõe a busca de novos metabólitos secundários ativos produzidos por fungos endofíticos associados às partes aéreas de Paepalanthus chiquitensis (Eriocaulaceae). Considerando a atual importância e relevância dos produtos naturais provenientes de fungos, recentemente foi implementado em nosso grupo de pesquisa, o estudo químico dos fungos endofíticos associados à Eriocaulaceae. O conhecimento dos metabólitos provenientes dos fungos endofíticos complementa grandemente o extenso trabalho fitoquímico que vem sendo realizado por nós no estudo com Eriocaulaceae durante estes últimos anos. Entre as abordagens utilizadas na descoberta de metabólitos secundários inéditos, o uso de modificadores epigenéticos e íons metálicos são excelentes ferramentas para levar à expressão das vias biossintéticas silenciosas envolvidas na produção de metabólitos pelos fungos endofíticos. Serão estudados neste trabalho os fungos Bipolaris sp. e Fusarium sp., isolados das folhas e capítulos de P.chiquitensis, respectivamente. Entre os 25 fungos isolados da espécie de Eriocaulaceae, esses fungos foram os mais promissores quanto à atividade antimicrobiana e diversidade química. Os fungos serão cultivados em escala reduzida na presença e ausência de diferentes modificadores epigéticos e íons metálicos, resultando nos respectivos extratos acetato de etila. Serão estudados os extratos que apresentarem maior atividade antimicrobiana. As substâncias serão purificadas pelos métodos cromatográficos clássicos e de alta performance. A identificação das estruturas químicas será realizada por técnicas espectrométricas e espectroscópicas. Paralelamente serão realizados os ensaios antimicrobianos de extratos e substâncias puras