Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da contribuição do processo inflamatório na discinesia induzida por L-DOPA na Doença de Parkinson

Processo: 16/06602-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Elaine Aparecida Del Bel Belluz Guimarães
Beneficiário:Mariza Bortolanza
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/25029-4 - Estudo da contribuição do processo inflamatório na discinesia induzida por L-DOPA na Doença de Parkinson, AP.TEM
Assunto(s):Degeneração neural   Doença de Parkinson

Resumo

RESUMO: A doença de Parkinson representa um dos distúrbios neurodegenerativos relacionados à idade mais comuns em seres humanos, não tem cura, e o seu custo sócio-econômico é elevado. O tratamento atual da doença restringe-se ao controle sintomático com drogas de ação dopaminérgica como a L-DOPA (L-3, 4-dihydroxyphenylalanine) molécula precursora da síntese de dopamina. Porém, o tratamento está associado ao aparecimento de complicações sensoriomotoras, após em média 5 anos. Cerca de 50% dos pacientes desenvolvem a redução gradativa na duração do efeito da medicação (wearing off) e discinesia. A discinesia induzida pelo tratamento com L-DOPA se caracteriza pela presença de movimentos involuntários anormais que incapacitam o paciente. Descobrimos que inibidores da síntese de óxido nítrico (NO) bloqueiam o desenvolvimento da discinesia, observação que foi reproduzida em primatas não humanos. Esta descoberta tem potencial uso terapêutico desde que não se conhece a causa da discinesia. Pode contribuir para a manifestação da discinesia processo inflamatório demonstrado no cérebro de pacientes Parkinsonianos (in vivo e post-mortem) e em modelos animais. O NO foi originalmente descrito como mediador da Inflamação, e tanto o NO como a nNOS foram associados tanto à atividade pró-inflamatória como à atividade anti-inflamatória. A hipótese a ser testada neste estudo é que o sistema nitrérgico participa do desencadeamento e manutenção da discinesia induzida pelo tratamento crônico com L-DOPA e que interage com componentes do processo inflamatório. Para analisar esta hipótese os objetivos gerais são: 1 - Investigar o efeito de drogas anti-inflamatórias, a expressão de proteínas relacionadas ao processo inflamatório, de mediadores lipídicos e citocinas no estriado com depleção de dopamina de animais Parkinsonianos (lesão unilateral de neurônios dopaminérgicos com a neurotoxina 6-OHDA), e/ou com discinesia induzida por L-DOPA (e respectivos controles). (AU)