Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação da melatonina na expressão do miRNA-155 em linhagem de câncer de mama metastática

Processo: 16/01470-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Debora Aparecida Pires de Campos Zuccari
Beneficiário:Beatriz Camargo Lopes
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Metástase   Melatonina   Oncologia experimental   Angiogênese   MicroRNAs   Neoplasias mamárias

Resumo

MicroRNAs são pequenas moléculas de RNAm não codificantes que desempenham papel fundamental na regulação gênica. A expressão de miRNAs está intimamente associada com o desenvolvimento tumoral, invasão, angiogênese e metástase de vários tipos de câncer, incluindo o câncer de mama. No desenvolvimento tumoral, a angiogênese, formação de novos vasos sanguíneos, apresenta um papel essencial, permitindo progressão tumoral e metástase. Assim, a busca de inibidores desse processo tem sido uma estratégia terapêutica para o câncer. A melatonina, hormônio produzido e secretado pela glândula pineal, surge como possível tratamento contra o câncer de mama, apresentando propriedades oncostáticas. Estudos sugerem que esse hormônio é capaz de modificar a expressão de inúmeros genes relacionados ao câncer de mama, indicando seu potencial papel na regulação de miRNAs. O miR-155 inibe a expressão do gene Von Hippel-Lindau (VHL) e, consequentemente, aumenta a expressão de fatores pró-angiogênicos como o VEGF. Assim, resultados indicaram que a perda da VHL no câncer de mama pode ser atribuída a uma alta expressão do miR-155. O presente estudo tem como objetivo avaliar a ação da melatonina na modulação do miR-155 envolvido na angiogênese do câncer de mama na linhagem celular MDA-MB-231, tratada ou não com melatonina e, posterior análise da expressão gênica desse miRNA e de seu gene alvo por PCR em tempo real. Os resultados alcançados poderão determinar a possível relação da melatonina com o miR-155 e sua ação na gênese de novos vasos sanguíneos, e com isso, estabelecer potenciais protocolos terapêuticos para controle deste evento celular, determinante para um pior prognóstico da paciente com câncer de mama.