Busca avançada
Ano de início
Entree

Resistência à fadiga de uma cerâmica de silicato de lítio reforçada por zircônia sob diferentes condições de carga

Processo: 16/06272-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 16 de julho de 2016
Vigência (Término): 15 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Marco Antonio Bottino
Beneficiário:Amanda Maria de Oliveira Dal Piva
Supervisor no Exterior: Cornelis Johannes Kleverlaan
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Academic Centre for Dentistry Amsterdam (ACTA), Holanda  
Vinculado à bolsa:15/13322-1 - Novos materiais cerâmicos: avaliação da formação de biofilme e da viabilidade de fibroblastos gengivais humanos (FMM-1), BP.MS
Assunto(s):Cerâmica (materiais cerâmicos)   Fadiga dos materiais

Resumo

Recentemente, uma composição de cerâmica à base de silicato de lítio reforçada por zircônia foi lançada no mercado como material monolítico, a fim de minimizar falhas frequentes nas cerâmicas de cobertura, reduzir tempo clínico e custos da restauração. O presente estudo tem como objetivo avaliar a fadiga mecânica da cerâmica Suprinity (Vita Zahnfabrik) através do método step stress sob diferentes condições de carga. Blocos da cerâmica Suprinity (Vita Zahnfabrik) serão padronizados com diâmetro de 12 mm e fatiados em cilindros de 1,5 mm de espessura através de uma máquina de corte (Isomet 1000, Precision Sectioning Saw, Buehler, Lake Bluff, Illinois, USA) com disco diamantado (Series 15LC Diamond Blade wafering, Buehler, USA) sob irrigação constante de água. Os discos terão suas superfícies polidas através de lixas d'água de granulação decrescente #400-#1200 (30 s por lixa) até obter as dimensões finais de 12 mm x 1,2 mm. Após limpeza em banho ultrassônico com álcool isopropílico durante 5 minutos, as amostras serão cristalizadas em forno específico (Vita Vacumat MP 6000, Vita Zahnfabrik, Germany). Em seguida, as amostras serão submetidas ao ensaio de resistência à flexão biaxial para que a carga média de fratura seja calculada e a partir deste valor, determinados os perfis do teste de fadiga. As amostras serão divididas em três perfis: leve, moderado e agressivo conforme o aumento da carga e o número de ciclos realizados durante este aumento. As amostras serão submetidas ao teste step stress sob flexão biaxial (ACTA Fatigue Tester2, ACTA, Amsterdam, the Netherlands) a uma frequência de 1,7 Hz em água. Dezoito amostras serão divididas entre os perfis conforme a escala 3:2:1. Para avaliar a viabilidade de 100.000 ciclos a 400 N o módulo de Weibull será calculado. As amostras que falharem serão analisadas através de estereomicroscópio, e amostras representativas de falhas serão inspecionadas através de Microscópio eletrônico de Varredura (MEV). (AU)