Busca avançada
Ano de início
Entree

Identidade e apego ao lugar em moradores do distrito de Bonfim Paulista (SP)

Processo: 16/07608-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Social
Pesquisador responsável:Ana Paula Soares da Silva
Beneficiário:Karine Regina Jurado
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Psicologia ambiental   Paisagem urbana   Segregação urbana   Espaço urbano   Identidade social   Comportamento de apego   Coleta de dados   Entrevistas (psicologia)

Resumo

A Psicologia Ambiental, ao colocar como central a análise de como o indivíduo percebe eavalia o seu ambiente, ao mesmo tempo em que sofre suas influências, implica-nos nacompreensão dos processos de construção de identidade e de apego ao lugar vinculados aos modos de ocupação dos espaços. Na atualidade, a crescente uniformidade do espaçofísico, concomitante à segregação socioespacial, fragiliza os processos de apropriação,identificação e vinculação dos sujeitos com os seus lugares de vida. Essa lógica permeia aforma de ocupação do espaço que têm como modelo o condomínio residencial fechado; ao ser construído em uma localidade, geralmente sem a escuta da população local, ele cria novas desigualdades no lugar, transforma a sociabilidade e restringe o encontro com o outro. O projeto objetiva compreender como se dá o processo de transformação da identidade e apego ao lugar em moradores de um distrito que vem sofrendo rápidas modificações na paisagem local, causadas pela construção de condomínios no seu entorno. A pesquisa ocorrerá em Bonfim Paulista, distrito de Ribeirão Preto (SP) e contará combonfinenses com 40 anos ou mais,sendo que o número de participantes será definido de acordo com saturação da amostra. A coleta de dados se dará por meio de: entrevista semiestruturada; percurso; desenho do mapa afetivo, representando Bonfim antes e depois da chegada dos condomínios. A análise será qualitativa e dará relevo tanto para ossignificados partilhados pelos sujeitos, como para particularidades.