Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento e caracterização de filmes lipídico-biopoliméricos funcionais para liberação transdérmica de lidocaína

Processo: 16/04158-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Pesquisador responsável:Eneida de Paula
Beneficiário:Bárbara Oliveira de Paula
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/14457-5 - Carreadores baseados em lipídios (SLN/NLC e lipossomas com gradiente iônico) como estratégia para aumentar a encapsulação e a potência de anestésicos locais, AP.TEM
Assunto(s):Tecnologia farmacêutica   Anestésicos locais   Biopolímeros

Resumo

A anestesia tópica transdérmica é de grande relevância para o conforto do paciente antes de procedimentos clínicos dolorosos superficiais, assim como no gerenciamento da dor decorrente de pós-operatórios ou lesões dérmicas e epidérmicas. No entanto, o estrato córneo é uma barreira fisiológica que dificulta a eficiente absorção de fármacos, e por isso, o desenvolvimento de uma formulação com eficiência terapêutica aumentada para uso na pele continua a ser um desafio. O presente projeto propõe o desenvolvimento de formulações de carreadores lipídicos nanoestruturados otimizados, compostos por manteiga de Karité e óleo de amêndoas; estes componentes, além de exercerem função estrutural, contribuirão com propriedades anti-inflamatórias, hidrantes, emolientes e de regeneração tecidual. Para isso, as formulações mais robustas quanto às propriedades estruturais das nanopartículas irão encapsular lidocaína (2%) visando administração transdérmica do anestésico local. Para tanto, tais sistemas serão incorporados em matrizes biopoliméricas de quitosana, alginato e xantana e serão processados como filmes, que são flexíveis, são de fácil administração pelo paciente e se mantém fixos no sítio de interesse. Tais sistemas serão avaliados quanto ao tamanho de partículas, índice de polidispersividade, potencial Zeta, capacidade de absorção de água, eficiência de encapsulação, morfologia das partículas (microscopia eletrônica de transmissão) e teste in vitro de liberação de lidocaína. Propomos assim, neste projeto de iniciação científica, uma estratégia nanobiotecnológica viável, de baixo custo e reprodutível que permitirá o desenvolvimento de um sistema transdérmico de liberação de lidocaína com propriedades melhoradas.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.