Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle e interferência de plantas daninhas convivendo com mudas pré brotadas (MPB) de diferentes variedades de cana-de-açúcar

Processo: 16/05690-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Patrícia Andrea Monquero
Beneficiário:Rafael Pires da Silva
Instituição-sede: Centro de Ciências Agrárias (CCA). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Araras , SP, Brasil
Assunto(s):Competição   Matologia   Cana-de-açúcar   Mudas (plantas)   Controle de plantas daninhas   Herbicidas

Resumo

O objetivo desta pesquisa será analisar o controle e a interferência de plantas daninhas na cultura de cana-de-açúcar em método de plantio de mudas pré-brotadas (MPB), um sistema ainda pouco explorado, que consiste em levar para o campo as mudas com 60 dias de idade. No primeiro experimento conduzido em casa de vegetação, o delineamento experimental para cada variedade de cana-de-açúcar (RB 86 7515; RB 96 6928 e RB 97 5201) será inteiramente casualizado em esquema fatorial de 3 x 6, sendo analisada a interferência de Cynodon dactylon, Chloris polydactyla e Merremia aeygtia convivendo com as mudas de cana de açúcar em seis densidades (0, 1, 2, 4, 6 e 8) plantas/vaso. No segundo experimento, o controle das plantas daninhas e o efeito de herbicidas nas mudas pré brotadas serão verificados por um experimento com delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro repetições. Serão aplicados 10 tratamentos (Saflufenacil; Safrufenacil + Clomazone; Saflufenacil + Metribuzim; Saflufenacil + Imazapic; Clomazone; Metribuzim; Imazapic; Indaziflan; Indaziflan +Metribuzim e indaziflan + Imazapic) mais a testemunha, sem aplicação dos herbicidas. Os tratamentos serão aplicados um dia após a semeadura das plantas daninhas Cynodon dactylon, Chloris polydactyla e Merremia aeygtia e 10 dias após o plantio das mudas de cana. A cultura e cada espécie de planta daninha serão conduzidas em vasos separados. A interferência das plantas daninhas sobre a cultura da cana-de-açúcar será avaliada de acordo com os resultados obtidos da altura, da área foliar e da biomassa seca da parte aérea de todas as mudas, em coleta realizada após o florescimento das plantas daninhas. Com relação ao segundo experimento, as avaliações de controle e fitotoxidade na cultura serão realizadas aos 15, 30 e 60 dias após a aplicação dos tratamentos (DAA). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: