Busca avançada
Ano de início
Entree

Modificação de Linfócitos T com receptor de antígenos quimérico anti-CD19

Processo: 16/08374-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Virginia Picanço e Castro
Beneficiário:Pablo Diego Moço
Instituição-sede: Hemocentro de Ribeirão Preto. Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (HCMRP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08135-2 - CTC - Centro de Terapia Celular, AP.CEPID
Assunto(s):Imunoterapia   Linfócitos T

Resumo

Imunoterapia com linfócitos T modificados para expressarem receptores de antígenos quiméricos (CAR) tem se mostrado eficaz na remissão de leucemia linfoide aguda (ALL) em crianças e jovens adultos. Os CAR possuem um domínio extracelular derivado de regiões variáveis de anticorpos e domínios intracelulares de co-estimulação de linfócitos T. A proteína CD19 tem se mostrado o alvo ideal para as terapias com CAR, pois está presente apenas na superfície de linfócitos B e células dendríticas foliculares além de possuir elevada expressão em praticamente todos os tipos de leucemias. O presente estudo propõe a produção de linfócitos T CAR anti-CD19, com 4-1BB como domínio intracelular de co-estimulação. Inicialmente será realizada a validação desta produção com utilização de linhagens celulares de linfócitos T Jurkat ou NK-92, que serão transduzidas com vetores lentivirais produzidos em Hek293T. A expressão do CAR será verificada através de citometria de fluxo, e a atividade citotóxica das linhagens modificadas será avaliada em co-cultivo com linhagens de linfócitos B CD19+ Raji ou Namalwa. Assim que a produção for validada em linhagens celulares, terá início a modificação de linfócitos T isolados de sangue periférico de indivíduos saudáveis. O isolamento de linfócitos T será feito com beads magnéticas acopladas com anticorpos anti-CD3 e a ativação destas células ocorrerá em cultivo com interleucina IL-2 e beads conjugadas a anticorpos anti-CD3 e anti-CD28. Os linfócitos T ativados serão transduzidos com os mesmos vetores lentivirais. A expressão de CAR e a atividade contra linhagens de linfócitos B serão avaliadas como na validação. Além destas avaliações, um ensaio de citotoxicidade será conduzido, no qual os linfócitos T CAR serão incubados com células mononucleares de sangue periférico.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARTINS FERNANDES PAES, BARBARA CRISTINA; MOCO, PABLO DIEGO; PEREIRA, CRISTIANO GONCALVES; PORTO, GECIANE SILVEIRA; DE SOUSA RUSSO, ELISA MARIA; JUNQUEIRA REIS, LUIZA CUNHA; COVAS, DIMAS TADEU; PICANCO-CASTRO, VIRGINIA. Ten years of iPSC: clinical potential and advances in vitro hematopoietic differentiation. CELL BIOLOGY AND TOXICOLOGY, v. 33, n. 3, p. 233-250, MAY 2017. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.