Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação histológica do efeito do óleo de Copaiba (Copaifera multijuga Hayne), na concentração de 1%, sobre a cicatrização corneal em úlceras provocadas por queimadura química em ratos

Processo: 15/17641-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Adriana Torrecilhas Jorge
Beneficiário:Isabelli Ricordi
Instituição-sede: Coordenadoria Adjunta de Graduação. Universidade de Franca (UNIFRAN). Franca , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/13630-7 - Validação química e farmacológica de extratos e princípios ativos de espécies de Copaifera, AP.TEM
Assunto(s):Oftalmologia veterinária   Cicatrização   Córnea   Óleo de copaíba   Copaifera   Microscopia   Histopatologia   Ratos Wistar

Resumo

O óleo de copaíba possui ação anti-inflamatória, antibiótica, analgésica e cicatrizante, porém, nada é descrito na literatura quanto à utilização e eficácia em oftalmologia. Para tanto, será avaliado o efeito do colírio à base de óleo de copaíba (Copaifera multijuga Hayne), em úlceras corneais provocadas quimicamente. Serão empregados 24 ratos Wistar (Rattus novergicus, linhagem Wistar, variação albino), machos e de 250 a 300 gramas de peso corpóreo. Após anestesia geral, as úlceras serão confeccionadas no olho esquerdo com disco de papel filtro embebido em hidróxido de sódio a 1N, durante 80 segundos. Os animais serão divididos em 4 grupos, com 8 animais cada. O G1, receberão óleo de copaíba a 1%; GT solução Tween 80 a 5%; GE, Epitezan® n e o GL Lacrima plus®, a intervalos de 6 horas, durante 72 horas consecutivas. Após os tratamentos, os animais serão submetidos à eutanásia ativa, com pentobarbital sódico e seus bulbos oculares coletados pela técnica de enucleação subconjuntival. Após a preparação rotineira das lâminas para microscopia de luz e coloração em HE, serão avaliadas o epitélio e estroma corneal e câmara anterior, verificando presença de espongiose e depósito anômalo no epitélio, células inflamatórias, neovascularização, edema, cicatrização corneal, fibrina e hemorragia.