Busca avançada
Ano de início
Entree

Apropriação do espaço escolar urbano por crianças residentes em área rural

Processo: 16/05709-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Pesquisador responsável:Ana Paula Soares da Silva
Beneficiário:Leticia Michele Stencel
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Psicologia ambiental   Movimento dos sem-terra   Assentamento rural   Desenvolvimento humano   Ensino fundamental   Espaço urbano   Crianças   Diálogo   Teoria histórico-cultural   Ribeirão Preto (SP)

Resumo

Este projeto dialoga com estudos que argumentam que crianças residentes na área rural podem sofrer preconceitos relacionados ao seu pertencimento territorial, em particular quando frequentam a escola em área urbana. Essa condição ocorreria em virtude de estereótipos que envolvem o homem do campo, tido como "atrasado" em relação ao urbano, além de visões do próprio rural, visto apenas pelo aspecto da produção econômica, esquecendo-se que este ainda preserva diferentes modos de vida, mesmo com as mudanças tecnológicas que ocorrem no mundo globalizado. A pesquisa tem como objetivo investigar como crianças de 1º e 2º Ano, provenientes de um assentamento rural vinculado ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra e de um distrito, ambos na região de Ribeirão Preto, apropriam-se do espaço escolar. O referencial teórico-metodológico apoia-se no conceito de apropriação do espaço, criado pela Psicologia Ambiental para caracterizar a relação do sujeito com o meio em que vive e a transformação em ambos nesta interação. Este conceito, fundamental para a construção de coesão social e da identidade dos sujeitos, na pesquisa, é instrumental para apreender a vivência de cada criança, de sua aprendizagem e desenvolvimento. Participarão da pesquisa crianças de 1º e 2º ano do Ensino Fundamental provenientes de dois tipos de ambiente rural: área de fazendas e sítios situadas em um Distrito e área de um assentamento rural, ambas localizadas na região de Ribeirão Preto (SP). Propõe-se que cinco crianças participem de cada área, totalizando dez e o método para a construção dos dados prevê a realização de: rodas de conversa; desenhos sobre os espaços que as crianças mais gostam; conversas com base em fotografias tiradas em momentos da chegada do transporte escolar e no uso do ambiente escolar. A análise dos dados será feita através do referencial histórico-cultural e da Psicologia Ambiental, considerando aspectos individuais e coletivos, a fim de encontrar elementos que aproximam e diferenciam as crianças provenientes das duas áreas rurais.