Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do perfil nutricional de mulheres com câncer de mama pós-mastectomizadas em uma amostra da população brasileira

Processo: 16/06626-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Alceu Afonso Jordão Junior
Beneficiário:Bruna Ramos da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias mamárias   Mastectomia   Composição corporal   Estado nutricional   Mulheres   Avaliação nutricional   Impedância bioelétrica   Inquéritos e questionários   Antropometria   Estudos transversais

Resumo

Os dados do último inquérito brasileiro de 2014 apontou que 50,8% dos brasileiros estão acima do peso, e que 17,5% são obesos (VIGITEL, 2014) e em paralelo a obesidade, ocorrem alterações metabólicas em que o excesso de tecido adiposo possui papel central no desenvolvimento de doenças crônicas, dentre elas pode-se destacar o câncer de mama, sendo este risco aumentado principalmente em mulheres na pós-menopausa (Morimoto et al., 2002). Os desarranjos metabólicos ligados ao ganho de peso além de caracterizar um risco para o desenvolvimento do câncer também estão correlacionados a terapêutica da doença, prognóstico e ao avanço da idade (REDIG AJ & MUNSHI HG, 2010) e estas alterações são possíveis são promotoras para o desenvolvimento de outros tipos de cânceres, doença cardiovascular, osteoporose e aparição de tumores mais agressivos (LADOIRE et al., 2014). Existem inúmeras possibilidades para a manutenção ou o desenvolvimento do excesso de peso no pós-tratamento do câncer de mama, como o fator genético, idade avançada, alterações no gasto energético basal e secreção hormonal, a inatividade física e desordens alimentares. Contribuindo para a relação do excesso de peso e piora do prognostico, está o comprometimento da rede linfática axilar que também está associada com ao ganho de gordura corporal e a perda de massa magra e funcionalidade muscular, que está ligada a presença de linfedema, mastectomia e a idade. Assim tendo em vista a gama de alterações associadas às mudanças do perfil nutricional que as pacientes oncológicas podem estar submetidas, a análise precisa da composição corporal, especialmente, da porcentagem de gordura corporal, massa magra e funcionalidade muscular assumem um papel fundamental para diagnóstico e adequação das condutas nutriconais a fim de promover melhoras na qualidade de vida. Objetivo: Avaliar e caracterizar o perfil nutricional (antropométrico, composição corporal, funcional e de atividade física) de mulheres mastectomizadas para câncer de mama que frequentam um núcleo de reabilitação. Metodologia: Será realizado um estudo transversal com 65 mulheres de um núcleo de reabilitação para câncer de mama. As voluntárias serão submetidos à antropometria (aferição de peso e estatura, a medida de circunferência do braço (CB), circunferência da cintura (CC), circunferência do quadril (CQ), circunferência de panturrilha (CP), prega cutânea triciptal (PCT), prega cutânea biciptal (PCB), prega cutânea subescapular (PCSE) e prega cutânea suprailiaca (PCSI), dinamometria e impedância bioelétrica (BIA), cálculo dos índices de adiposidade e aplicação do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ).