Busca avançada
Ano de início
Entree

Como varia a intenção de preservar a floresta em populações que habitam paisagens com diferentes porcentagens de cobertura florestal remanescente?

Processo: 16/06690-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Renata Pardini
Beneficiário:Karina Campos Tisovec Dufner
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/23457-6 - Projeto interface: relações entre estrutura da paisagem, processos ecológicos, biodiversidade e serviços ecossistêmicos, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Ecossistemas   Ecossistemas florestais   Conservação dos recursos naturais   Proteção florestal

Resumo

O planeta Terra está passando por mudanças em uma velocidade sem precedentes, afetando tanto os componentes sociais como ecológicos dos sistemas socioecológicos. As relações dentro desses sistemas são de duas vias; por um lado o ser humano altera os ecossistemas, e por outro a perda de biodiversidade e outras consequências das alterações nos ecossistemas resultam na diminuição de serviços ecossistêmicos relacionados ao bem-estar humano. Compreender de que maneira o contexto ambiental em que as pessoas vivem, e os serviços e benefícios que recebem das florestas, influenciam a intenção de preservá-las é fundamental para o manejo adequado de sistemas socioecológicos. Contudo, ainda existe uma lacuna de pesquisas deste tipo que se baseiem em arcabouços teóricos, como a Teoria do Comportamento Planejado, e que considerem os vários tipos de valores instrumentais e benefícios ecossistêmicos. Nesse projeto, a partir de dados de questionários aplicados por entrevista a 120 proprietários distribuídos em 12 paisagens que variam na cobertura florestal remanescente, pretendemos avaliar a relação entre o contexto ambiental em que as pessoas vivem (cobertura florestal remanescente na paisagem) e a intenção de preservar a floresta. Para isso, quantificaremos: o grau de contato com a floresta e o uso de benefícios providos por ela, como estes aspectos afetam as crenças sobre os resultados de preservar a floresta, a importância destas crenças para definir a atitude em relação a preservar a floresta, assim como a influência relativa dos três determinantes (atitude, norma subjetiva e controle comportamental percebido) na definição da intenção de preservar a floresta. (AU)