Busca avançada
Ano de início
Entree

A modulação de lisinas(K)-deacetilases e o seu papel no metabolismo, dinâmica e degradação mitocondrial: possível neuroproteção para a Esclerose Lateral Amiotrófica

Processo: 16/12039-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2016
Vigência (Término): 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Pesquisador responsável:Tatiana Rosado Rosenstock
Beneficiário:Mariana Dutra Brito
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP). Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/02041-1 - O papel das lisinas(K)-deacetilases para a neuroproteção de desordens mitocondriais: perspectivas de terapia epigenética para a esclerose lateral amiotrófica e esquizofrenia, AP.JP
Assunto(s):Metabolismo   Esclerose amiotrófica lateral   Autofagia   Mitocôndrias

Resumo

Uma das maiores preocupações relacionadas às doenças neurodegenerativas é o desenvolvimento de estratégias neuroprotetoras. Nesse sentido, uma das mais promissoras é a modificação epigenética, onde a acetilação de resíduos de lisina (K) vem ganhando destaque. Uma vez que as lisinas(K)-deacetilases (KDACs) regulam proteínas envolvidas em mecanismos como transcrição gênica, degradação celular e metabolismo, no qual a mitocôndria possui um papel fundamental, o objetivo desse projeto é determinar o papel protetor dos moduladores de KDACs frente ao metabolismo, dinâmica e degradação mitocondrial (mitofagia) em diferentes modelos de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA); sabe-se que as mitocôndrias estão relacionadas com a etiologia e/ou progressão dessa desordem. A ELA é caracterizada pela degeneração progressiva de neurônios motores e, apesar da maioria ser esporádica (90%), uma pequena porcentagem é de causa genética (casos familiares). Desses, 15 a 20% estão relacionadas com mutação no gene que codifica a enzima antioxidante superóxido dismutase Cu/Zn (SOD1). Entretanto, a ELA é ainda considerada uma desordem multifatorial visto que apresenta não apenas alteração da expressão gênica e aumento do estresse oxidativo, mas também excitotoxicidade e disfunção mitocondrial. Para alcançar os objetivos propostos, serão utilizados neurônios e/ou astrócitos de ratos hSOD1 G93A, e células imortalizadas SH-SY5Y na presença e/ou ausência da SOD1 mutante. Com isso, novas estratégias terapêuticas poderão ser desenvolvidas objetivando a neuroproteção via aumento da função mitocondrial e/ou mitofagia.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SOUZA E SILVA, LUIZ FELIPE; BRITO, MARIANA DUTRA; CAMARGO YUZAWA, JESSICA MAYUMI; ROSENSTOCK, TATIANA ROSADO. Mitochondrial Dysfunction and Changes in High-Energy Compounds in Different Cellular Models Associated to Hypoxia: Implication to Schizophrenia. SCIENTIFIC REPORTS, v. 9, DEC 2 2019. Citações Web of Science: 0.
BRITO, MARIANA DUTRA; GOMES DA SILVA, GUSTAVO FERRO; TILIERI, ERICK MUTTI; ARAUJO, BEATRIZ GRISOLIA; CALIO, MICHELE LONGONI; ROSENSTOCK, TATIANA ROSADO. Metabolic Alteration and Amyotrophic Lateral Sclerosis Outcome: A Systematic Review. FRONTIERS IN NEUROLOGY, v. 10, NOV 20 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.