Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle do Cowpea aphid borne mosaic vírus (CABMV) pelo manejo cultural e por transformação genética de maracujazeiro

Processo: 16/08573-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Jorge Alberto Marques Rezende
Beneficiário:David Marques de Almeida Spadotti
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Vírus de plantas

Resumo

A família Passifloraceae encontra-se largamente distribuída pelos trópicos, com mais de 580 espécies. Dentre as espécies comestíveis do gênero Passiflora, encontram-se P. edulis f. flavicarpa e P. alata como as mais cultivadas no Brasil. O país é o principal produtor mundial de maracujá amarelo. Com o aumento da área cultivada, uma série de problemas fitossanitários tem prejudicado a produção e a qualidade dos frutos de maracujá. Dentre eles, o Cowpea aphid borne mosaic virus (CABMV), agente causal da doença denominada endurecimento dos frutos do maracujazeiro, tem se destacado, pois está disseminado por todas as áreas produtoras de maracujá no país. Este vírus reduz a longevidade das plantas e provoca danos quantitativos e qualitativos na produção. Até o momento não se dispõe de alternativas duradouras e eficazes para o controle da doença. Diante disso, este projeto tem como objetivos dar continuidade aos estudos de controle da doença que se iniciaram em 2001, com apoio da FAPESP: i) numa primeira proposta, com resultados esperados a médio e longo prazos, pretende-se selecionar progênies avançadas de plantas transgênicas contendo o gene da proteína capsidial do CABMV, em construção do tipo "hairpin", para resistência à replicação do vírus e tolerância à doença. Serão avaliadas plantas das progênies R2 obtidas da linhagem transgênica FB-100 9x de P. edulis f. flavicarpa e de plantas transgênicas R1 de maracujá doce. A quantificação do CABMV será feita por RT-qPCR; ii) uma segunda proposta com o objetivo de proporcionar o controle da doença em um prazo mais curto, pretende-se reavaliar a viabilidade prática e principalmente econômica da erradicação sistemática das plantas com mosaico no manejo cultural da doença. Serão comparados plantios em caramanchões individualizados, onde o método de erradicação já se mostrou eficiente, porém de alto custo, com plantio convencional em espaldeiras, porém com plantas individualizadas, também associado com a erradicação de plantas com mosaico. Adicionalmente, pretende-se investigar a possibilidade de transmissão mecânica do vírus durante o processo de polinização manual do maracujazeiro com pólen de planta infectada, devido às implicações epidemiológicas na disseminação do patógeno e consequentemente na estratégia de manejo cultural. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Técnica combate doença mais comum na cultura do maracujá 
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias: (28 total)
Mais itensMenos itens

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SPADOTTI, D. M. A.; BELLO, V. H.; FAVARA, G. M.; STANGARLIN, O. S.; KRAUSE-SAKATE, R.; REZENDE, J. A. M. Passiflora edulis: new natural host of Melochia yellow mosaic virus in Brazil. AUSTRALASIAN PLANT DISEASE NOTES, v. 14, n. 1 JUL 12 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.