Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação das alterações a longo prazo de mulheres submetidas a corticoterapia na gestação e suas possíveis repercussões metabólicas futuras

Processo: 16/10049-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Adriana Gomes Luz
Beneficiário:Victoria Regina Ribeiro Ferraz de Oliveira
Instituição-sede: Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM). Hospital da Mulher Professor Doutor José Aristodemo Pinotti. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Gravidez   Obstetrícia   MicroRNAs   Corticoterapia   Resistência à insulina   Metabolismo   Transtornos do metabolismo dos lipídeos

Resumo

A corticoterapia na gestação tem sido utilizada há aproximadamente três décadas e tem demonstrado relativo sucesso na diminuição tanto da mortalidade de recém-nascidos pré-termos, com menos de 34 semanas, quanto na incidência da síndrome do desconforto respiratório. Apesar destes reconhecidos benefícios imediatos que advêm da corticoterapia, já foi relatado que, depois de um acompanhamento de 30 anos, pessoas que nasceram de mães que receberam betametasona como corticoterapia na gestação, desenvolvem mais resistência à insulina no futuro. Existem evidencias de que alterações no metabolismo energético e de gorduras possa estar mediado por miRNA. Objetivo: avaliar as mulheres que utilizaram ou não corticoide durante a gestação e correlacionar os resultados com possíveis alterações no metabolismo de açúcares e gordura e suas repercussões futuras. Sujeitos e Métodos: Para o estudo serão selecionadas mulheres que realizaram acompanhamento ultrassonográfico no CAISM durante a gestação em outro estudo (Estudo do crescimento fetal da OMS) e que não apresentavam nenhuma doença previa e que fizeram (15 mulheres) ou não (30 mulheres) uso de corticoide na gestação, totalizando 45 mulheres. Depois de identificadas, as mulheres serão abordadas e convidadas a participar através de um contato telefônico, quando deverão agendar uma visita ao serviço. Nesse contato a mulher receberá informações adicionais, deverá assinar o termo de consentimento informado e será então feita coleta de sangue destas mulheres para realizar um teste de tolerância à glicose (GTT), perfil lipídico, dosagem de insulina e para extração dos microRNA. Análise de dados: A análise dos dados será feita por sub-grupos: mulheres que foram tratadas (Grupo Tratadas) e não tratadas com corticoide na gestação (Grupo controle) A análise inicial consistirá na comparação da média (±EPM) dos valores relativos à glicemia de jejum, área sob a curva no GTT, LDL, TG, insulina de jejum e valores do índice HOMA-IR dos grupos de mulheres que receberam e não receberam corticoterapia durante a gestação. Para análise destas comparações era usado teste t de Student não pareado e o nível de significância adotado será de p<0.05. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)