Busca avançada
Ano de início
Entree

Concentrações de vitamina D em gestantes e seus recém-nascidos: relação com o peso ao nascer e idade gestacional

Processo: 16/07882-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Fabíola Isabel Suano de Souza
Beneficiário:Fernanda Ramires Cafeo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Organização Social de Saúde. Fundação do ABC. Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Recém-nascido pequeno para a idade gestacional   Trabalho de parto   Cordão umbilical   Idade gestacional   Vitamina D   Prevalência   Estudos transversais

Resumo

A vitamina D (VITD) é reconhecida como um pró-hormônio envolvido no metabolismo ósseo e no funcionamento dos sistemas imunológico, respiratório, endocrinológico e cardiovascular. Gestantes e lactentes são grupos de elevado risco para deficiência de VITD. Revisão sistemática recente descreveu as concentrações de 25(OH)VitD3 nos 5 continentes e encontrou valores compatíveis com deficiência em 46 a 87% das gestantes e 30 a 73% dos recém-nascidos. A Organização Mundial de Saúde não recomenda de forma rotineira a suplementação de VITD em gestantes. Apesar de reconhecer a elevada prevalência dessa deficiência os estudos disponíveis não encontraram claros benefícios da suplementação para a mãe e RN, além disso, poucos avaliaram possíveis efeitos adversos. Objetivo: Descrever, no momento do parto, as concentrações de 25(OH)VitD3 maternas e em cordão umbilical de recém-nascidos à termo (RNT) e comparar com as de recém-nascidos pré-termo (RNPT). Além de relacionar as concentrações de 25(OH)VitD3 no cordão umbilical com as maternas. Método: Por meio de estudo transversal serão incluídos, entre 23 de setembro a 22 de dezembro de 2016, 30 duplas - mães e seus recém-nascidos à termo (RNT) e com peso adequado ao nascer (AIG) - do Hospital Municipal Universitário de São Bernardo do Campo (HMU-SBC). Cada dupla será pareada com outra cujo parto foi prematuro (< 32 semanas) que estão sendo incluídas por meio de outro projeto de pesquisa que está sendo desenvolvido na mesma maternidade desde fevereiro de 2016. Resultados esperados: Espera-se encontrar elevada prevalência de deficiência de VITD na população estudada, mães e RN, especialmente entre RNPT. As concentrações de VITD do cordão umbilical devem se correlacionar com as maternas.