Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da poluição urbana na composição de gases e partículas em uma floresta tropical

Processo: 16/12731-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Paulo Eduardo Artaxo Netto
Beneficiário:Patrick Schlag
Instituição-sede: Instituto de Física (IF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/05014-0 - GoAmazon: interação da pluma urbana de Manaus com emissões biogênicas da Floresta Amazônica, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Amazônia

Resumo

Este projeto de pós-doutoramento foca no estudo do impacto das emissões de uma área urbana isolada (Manaus) dentro de uma região da bacia amazônica que, exceto por esta fonte de poluição urbana, é considerada intocada. O foco deste plano de pós-doutoramento é estudar a formação de aerossóis orgânicos secundários (AOS) da interação de óxidos de nitrogênio (NOx) e outras emissões urbanas com Compostos Orgânicos Voláteis (COVs) da floresta. O ciclo de vida dos aerossóis na Amazônia será estudado, com foco no impacto da pluma de poluição de Manaus neste ciclo. Iremos determinar como a poluição e sistema terrestres afetam a reatividade, oxidação, formação de novas partículas e aerossóis orgânicos secundários. Queremos também saber qual é o papel do radical Hidroxila (OH) e VOCs como isopreno na formação de aerossóis orgânicos, e como isto é influenciado por florestas tropicais. Iremos também determinar qual é a distribuição de aerossóis inorgânicos secundários (nitrato de amônia e sulfato de amônia) na pluma de poluição em uma megacidade tropical, e quais são as propriedades óticas de aerossóis e seu subsequente impacto climático de aerossóis urbanos (primários e secundários) e a formação de aerossóis orgânicos secundários em ambiente de floresta tropical. Para atingir estes objetos, fluxos de COVs da floresta intocada, vento acima de Manaus, será medido assim como a mudança da composição dos COVs vento abaixo da cidade. Para realizar as medidas propostas, propomos montar, operar e analisar dados de uma grande gama de instrumentos diretamente vento-abaixo de Manaus. Três sites serão instalados vento-acima de Manaus (ATTO, ZF2 e Embrapa) e dois sites vento abaixo (Iranduba e Manacapuru), com o qual possível acompanhar o transporte e processamento atmosférico. A instrumentação será composta de um Aerosol Chemical Speciation Monitor (ACSM), instrumento estado-da-arte de caracterização química de aerossóis em tempo real, e o Proton Transfer Reaction-Mass Spectrometer (PTR-MS), o monitor de alta-sensibilidade de COVs. Além disso, instrumentação complementar proverá distribuição de tamanho, propriedades óticas de aerossóis, CO/CO2, O3, SO2, composição elementar, análise OC-EC, etc. Tal vasta montagem permitirá uma compreensão sem precedentes da dinâmica da atmosfera e sua química, assim como do efeito climático da interação poluição-VOCs nos aerossóis, nuvens, precipitação e balanço radiativo na Amazônia Central. (AU)