Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações neuroanatômicas e funcionais do sistema respiratório no sono e na vigília em um modelo experimental para Doença de Alzheimer

Processo: 16/04412-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2016
Vigência (Término): 15 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Luciane Helena Gargaglioni Batalhão
Beneficiário:Mariane Cristine Vicente
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/21750-9 - Propriedades eletrofisiológicas dos neurônios noradrenérgicos de locus coeruleus em um modelo experimental para a Doença de Alzheimer, BE.EP.DR
Assunto(s):Vigília   Sono   Hipercapnia   Respiração (fisiologia)   Doença de Alzheimer   Modelos animais de doenças

Resumo

A disfunção do sistema respiratório é visto em várias doenças neurodegenerativas como o Alzheimer, mas como os mecanismos fisiopatológicos da doença estão relacionados com o sistema respiratório permanecem insuficientemente documentados. Os critérios clínicos atuais para diagnóstico da DA estão focados principalmente nos déficits cognitivos produzidos pela disfunção do hipocampo e de áreas neocorticais, ao passo que, os sintomas não cognitivos, como distúrbios do sono ou do sistema respiratório são negligenciados e podem preceder a demência. A doença de Alzheimer (DA), a mais comum dentre as desordens neurodegenerativas frequentemente associada à idade, é caracterizada por intensa degeneração encefálica, progressivo declínio cognitivo e presença de emaranhados de Tau hiperfosforilada (NFTs) e placas beta amiloide (A²). A proteína Tau é uma fosfoproteína que possui a função de estabilizar os microtúbulos, sua atividade é regulada por sua cinética de fosforilação. No encéfalo de pacientes com a DA, a proteína Tau é encontrada em emaranhados neurofibrilares (NFTs) formados de Tau hiperfosforilada, indicando falha nos processos de fosforilação. A neurodegeneração na DA ocorre em múltiplas regiões encefálicas incluindo hipocampo, córtex, amígdala, neocortex, regiões subcorticais e regiões envolvidas na quimiossensibilidade central e na manutenção do estado de vigília, como o lócus coerules, rafe dorsal e o hipotálamo. Estudos recentes enfatizam a possibilidade da neurodegeneração do tronco encefálico na DA anteceder o estágio de demência (declínio cognitivo), área onde se localizam os principais núcleos envolvidos no controle da ventilação. Contudo, o papel dessas regiões nesta enfermidade não é muito estudado. Desta forma, o presente projeto testará a hipótese que alterações neuroquímicas na DA promovem problemas respiratórios e esses problemas podem anteceder o declínio cognitivo. O estudo será realizado em modelo animal de DA esporádica, induzido por injeções intracerebroventriculares de estreptozotocina (STZ). Dessa forma, serão avaliadas as alterações do sistema respiratório na progressão da DA (18 e 36 dias após a injeção de icv de STZ) durante o sono e vigília. (AU)