Busca avançada
Ano de início
Entree

Ecologia da paisagem de um hospedeiro de doença zoonótica: Ideias advindas da genética / genômica

Processo: 16/16985-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 08 de janeiro de 2017
Vigência (Término): 25 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Pedro Manoel Galetti Junior
Beneficiário:Juan Pablo Torres Flores
Supervisor no Exterior: Stephanie Manel
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa: Centre d'Ecologie Fonctionnelle & Evolutive (CEFE), França  
Vinculado à bolsa:13/23198-0 - Modificação do uso da terra e seu possível impacto na conectividade funcional e estrutura populacional de um hospedeiro de doença zoonótica: o caso do capivara no Estado de São Paulo, BP.PD
Assunto(s):Febre maculosa   Genética da paisagem   Ecologia da paisagem

Resumo

É conhecido que a modificação do uso do solo (e.g. fragmentação de habitat) é uma das principais causas de perda de conectividade das populações (fluxo gênico), redução da área de vida, e, portanto, a perda de biodiversidade. No entanto, ao contrário do que foi mencionado anteriormente, diferentes espécies obtem vantagem desta modificação do uso da terra, expandindo suas áreas de vida e tamanhos populacionais. Expansões das populações destas espécies pode levar a problemas económicos associados com culturas danificadas (devido aos hábitos generalistas destas espécies), mas também tem sido associadas com o surgimento e expansão de doenças prejudiciais para a saúde humana. Diferentes abordagens são utilizadas para identificar possíveis fontes de pandemia, no entanto, devido a que a propagação de doenças é inerentemente um processo espacial e muitas vezes incorporada em paisagens complexas, a utilização de sistemas de informação geográfica juntamente com estatística e ferramentas de ecologia da paisagem tem sido proposta como uma importante ferramenta para avaliar possíveis rotas de dispersão de doenças. Além do anterior, o uso de ferramentas genéticas numa perspectiva da genética da paisagem pode elucidar os mecanismos que estão por tras dos processos ecológicos básicos que impulsiona a dinâmica de doenças infecciosas e permite compreender a ligação entre os processos espaciais das populações e a distribuição geográfica da variação genética de hospedeiros e parasitas. Assim então, a informação genética dos hospedeiros e das parasitas juntamente com suas interações ecológicas pode levar a entender os padrões de surgimento da doença, propagação e controle. Durante este estagio pós-doutoral pretendemos: i) usar ferramentas de ecologia da paisagem para identificar barreiras e corredores para a capivara, a fim de prever as possíveis rotas de propagação da febre maculosa (FM), ii) estimar conectividade funcional da capivara utilizando uma abordagem da genética da paisagem e iii) procurar sinais de seleção adaptativa a nível do genoma comparando áreas endêmicas e não-endêmicas de FM, e testar possíveis correlações de alelos específicos nestes loci (outlier loci) com fatores bióticos e ambientais, utilizando uma abordagem genômica paisagem.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)