Busca avançada
Ano de início
Entree

Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias - CRID

Processo: 16/16207-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 01 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Rita de Cassia Aleixo Tostes Passaglia
Beneficiário:Josiane Fernandes da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08216-2 - CPDI - Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias, AP.CEPID
Bolsa(s) vinculada(s):17/26072-9 - Papel do ambiente pró-oxidativo e da oxidação de proteínas tirosina fosfatase em processos associados a aterosclerose, BE.EP.PD
Assunto(s):Inflamação   Aterosclerose   Placa aterosclerótica

Resumo

As doenças inflamatórias constituem um grupo complexo e heterogêneo de doenças, sendo causa importante de morbidade e mortalidade. O Center for Research on Inflammatory Diseases (CRID) pretende desenvolver investigação translacional na área de Doenças Inflamatórias. Com esta finalidade, foram incorporados ao Centro químicos com formação em modelagem molecular e síntese de moléculas, o que permitirá desenvolvimento de novos medicamentos para tratamento destas doenças. O projeto do CRID é constituído de 03 subprojetos: 1) doenças inflamatórias infecciosas (leishmaniose, doença de Chagas, paracoccidioidomicose, tuberculose; sepse); 2) doenças inflamatórias autoimunes (artrite reumatoide, lúpus, psoríase, doenças inflamatórias intestinais e pênfigos) e alérgicas (asma); 3) aterosclerose. O desenvolvimento dos subprojetos permitirá a identificação de novos alvos biológicos, comuns para a maioria das doenças inflamatórias citadas anteriormente. A aterosclerose é uma doença vascular que leva às formas mais comuns de doença cardiovascular, como síndrome coronariana aguda, infarto do miocárdio ou acidente vascular cerebral. Por muitos anos, a aterosclerose era considerada uma doença causada pelo acúmulo de lipídios provenientes da dieta e pelo estilo de vida. No entanto, nos últimos anos, este conceito tem mudado e, atualmente, a patologia é caracterizada por um processo inflamatório crônico da parede arterial que ocorre em locais com fluxo laminar alterado, como pontos de bifurcações arteriais. A aterosclerose se inicia por disfunção endotelial, seguida por adesão de monócitos a células endoteliais, acúmulo de lipídios e leucócitos na parede vascular e, finalmente, pela proliferação e migração de células musculares lisas. O enfoque deste subprojeto será estudar os mecanismos moleculares que afetam a progressão da placa, os marcadoresséricos correlacionados com inflamação na região da placa, bem como a identificação de marcadores morfológicos e moleculares capazes de discriminar entre placas estáveis e vulneráveis. Neste subprojeto, também será abordado se fatores como tabagismo (receptor de hidrocarboneto aromático), armadilha extracelular de neutrófilos (NET) e O-glicosilação com N-acetil-glucosamina (O-GlcNAc) podem estar envolvidos na progressão da aterosclerose, sendo que ainda não está claro o envolvimento desses fatores na estabilização, vulnerabilidade e ruptura da placa de aterosclerose. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.