Busca avançada
Ano de início
Entree

Lesões tireoidianas Classes III e IV: detecção de malignidade por análise computadorizada de imagens nucleares

Processo: 16/14987-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2016
Vigência (Término): 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Gláucia Maria Ferreira da Silva Mazeto
Beneficiário:Caroline Yuki Hayashi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Fotografia   Núcleo celular   Citologia   Neoplasias da glândula tireoide

Resumo

Contexto: Embora a incidência do câncer de tireoide seja baixa, ele é a neoplasia endócrina mais comum. O carcinoma diferenciado da tireoide (CDT) corresponde a aproximadamente 90% dos carcinomas tiroidianos e é principalmente representado pelos subtipos papilífero (CP) e folicular (CF). De acordo com a classificação de Bethesda, a punção aspirativa por agulha fina (PAAF) do nódulo tireoidiano pode ser especificada em seis classes. Como o risco de malignidade das classes III e IV ainda é incerto, há divergências em relação à escolha de conduta. Assim, a análise computadorizada de determinados parâmetros nucleares das células foliculares poderia mostrar maior precisão na detecção de malignidade nessas duas classes. Objetivos: avaliar parâmetros nucleares, por meio de análise computadorizada de imagens, em material citológico obtido de nódulos tireoidianos com diagnósticos citológicos classes III e IV, e relacioná-los com o diagnóstico histológico final. Metodologia: Serão avaliadas lâminas com material citológico de nódulos tireoidianos, submetidos a PAAF entre 2009 e 2015 no Hospital das Clínicas de Botucatu, e diagnosticadas como classes III e IV de Bethesda. Serão analisados os núcleos foliculares por meio do programa computacional ImageJ quanto a uma série de parâmetros morfométricos e texturais. Posteriormente, será avaliado se esses parâmetros nucleares são capazes de predizer se a lesão é benigna ou maligna de acordo com o diagnóstico histológico final.