Busca avançada
Ano de início
Entree

Vacina de RNA auto-amplificante como estratégia imunoterapêutica para o controle de tumores induzidos por HPV-16

Processo: 16/11594-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luis Carlos de Souza Ferreira
Beneficiário:Jamile Ramos da Silva
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/01523-3 - Vacinas baseadas em RNA contra tumores induzidos por HPV, BE.EP.DR
Assunto(s):Biotecnologia   Células dendríticas   Neoplasias

Resumo

O câncer cervical representa a terceira causa de morte por câncer em mulheres e está associado a infecções persistentes pelo Vírus do Papiloma Humano (HPV) em mais de 99% dos casos. Dada a importância epidemiológica dos tumores induzidos por HPV e anecessidade primordial de desenvolvimento de imunoterapias ativas contra essas lesões, durante os últimos 12 anos, desenvolvemos uma estratégia vacinal terapêutica baseada em DNA que codifica a proteína E7 de HPV-16 fusionada à glicoproteína D (gD) do Vírus Herpes Simplex do tipo 1 (HSV-1), denominada gDE7. Recentemente, evidências sólidas demonstraram que o RNA auto-amplificante pode ser uma excelente plataforma para o desenvolvimento de vacinas humanas. Essa tecnologia foi capaz de induzir uma potente resposta imune protetora no controle de doenças infecciosas, compatíveis com a tecnologia de DNA associado à eletroporação, mas sem as limitações inerentes à segurança. Embora sejam notáveis os atributos positivos dessa plataforma altamente inovadora, seus benefícios como vacina terapêutica para tratamento do câncer ainda não foram estudados. O presente trabalho busca desenvolver uma vacina de RNA auto-amplificante a partir do gene da gDE7 associada a lipossomas, voltado para o controle de tumores induzidos por HPV-16. Para melhorar a entrega da vacina para células especializadas em apresentação de antígenos, propomos utilizar anticorpo de direcionamento para células dendriticas acoplados à superfície das nanopartículas. Em busca de um modelo que mais se aproxime ao que ocorre na clínica, será avaliado o potencial terapêutico da nova formulação vacinal em promover a regressão de tumores localizados em sítios de mucosa. A capacidade da vacina em desencadear a resposta de linfócitos T CD8+ E7-específica sistêmica e capaz de infiltrar o sítio tumoral será determinada por diferentes abordagens experimentais. Os resultados obtidos durante a execução deste projeto contribuirão para o desenvolvimento de uma estratégia vacinal inédita em condições adequadas ao seu emprego clínico.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.