Busca avançada
Ano de início
Entree

Clonagem, expressão recombinante e validação por microarray de proteínas alimentares potencialmente alergênicas.

Processo: 16/01308-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:João Roberto Oliveira do Nascimento
Beneficiário:Gabriela Justamante Handel Schmitz
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07914-8 - FoRC - Centro de Pesquisa em Alimentos, AP.CEPID
Bolsa(s) vinculada(s):16/22671-2 - Clonagem, expressão recombinante e validação por microarray de proteínas alimentares potencialmente alergênicas, BE.EP.DR
Assunto(s):Análise de sequência com séries de oligonucleotídeos   Hipersensibilidade alimentar

Resumo

Em alguns grupos de alimentos, a alergia a um determinado componente do grupo pode implicar em reações aos demais, o que é denominado reatividade cruzada. Um pequeno e específico grupo de famílias de proteínas presentes nos alimentos é responsável por um grande número de casos de reações alérgicas e a maioria dessas são mediadas por IgE, que pode ser detectada através de testes como o microarray. Alguns dos alimentos de interesse na clínica em função do número de casos de alergia são: abacaxi, mamão, manga e mandioca. A escassez de alérgenos identificados para esses organismos dificulta o diagnóstico de alergia alimentar, assim fica clara a importância de se ampliar a plataforma de alérgenos através da obtenção de novas proteínas alergênicas pela tecnologia do DNA recombinante para a aplicação em microarrays. Desta maneira, o objetivo desse trabalho é clonar, expressar e purificar proteínas potencialmente alergênicas de alimentos de importância regional. Após confirmadas por ensaios imunológicos, essas proteínas serão utilizadas na construção e validação de um microarray através de ensaios com os soros de pacientes alérgicos aos alimentos selecionados. Para isso, serão estudados potenciais alérgenos desses alimentos, apontados tanto pela similaridade taxonômica quanto por 2D Western Blot acoplada à MS. A partir da análise in silico, serão desenhados primers consensus para amplificação das sequências de cDNA dos potenciais alérgenos, enquanto que para a técnica 2D Western Blot serão utilizados soros de pacientes alérgicos aos alimentos selecionados. A validação do microarray permitirá a aceleração do diagnóstico, indicando a presença de sensibilização para alérgenos de reatividade cruzada.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)