Busca avançada
Ano de início
Entree

Anti-EGFR no derrame pleural maligno induzido experimentalmente em camundongos: avaliação histopatológica

Processo: 16/11394-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2016
Vigência (Término): 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Lisete Ribeiro Teixeira
Beneficiário:Gabriela de Macedo Benedito
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Pneumologia   Fisiopatologia   Derrame pleural maligno   Adenocarcinoma   Histopatologia   Imuno-histoquímica   Análise de imagens   Modelos animais

Resumo

O derrame pleural neoplásico resultante de metástases pleurais de cânceres como o de pulmão é um problema clínico comum e com importantes repercussões. Trata-se de uma manifestação de neoplasias avançadas ou disseminadas, sem possibilidade de cura, com baixa expectativa de vida, alta morbidade e tratamento limitado ao controle do derrame, prática que não beneficia todos os pacientes e não modifica a evolução da doença. Estudos recentes de neoplasia pleural em modelos murinos vêm reproduzindo adequadamente a formação de derrame e de metastase pleural. Assim, com o objetivo de propiciar um melhor conhecimento sobre a fisiopatologia do derrame pleural neoplásico decorrente do adenocarcinoma de pulmão, bem como facilitar o entendimento de terapias vigentes, pretende-se avaliar o perfil histopatológico da ação intrapleural do anti-EGFR em camundongos com derrame pleural neoplásico induzido por células de Lewis em diferentes fases de evolução da doença. Serão utilizados camundongos C57BL/6, um protótipo de camundongo imunocompetente que permite o implante de células de adenocarcinoma de pulmão específicas denominadas células LLC (Lewis Lung Cancer). O desenvolvimento da neoplasia pleural será realizado através de injeção intrapleural por diferença de pressão de 0,5 x 105 células neoplásicas (LLC) com diferentes estratégias de tratamento utilizando anti-EGFR. Amostras de pleura visceral e tumores de animais serão coradas por H&E e avaliadas qualitativa e semi-quantitativamente para índices morfológicos como necrose, neovascularização e infiltrado inflamatório, graduados de 0 a 4 de acordo com sua extensão e severidade, além da disseminação metastática. Alterações histológicas em pericárdio, diafragma, pulmões, rins, baço e fígado também serão graduadas de 0 a 4 de acordo com sua extensão e severidade. Amostras representativas dos tumores pleurais de animais não-tratados e tratados serão submetidos à coloração imunohistoquímica para identificação de fator VIII, CD34, EGF, VEGF, Ki67, PCNA e apoptose (Tunel) avaliados em sistema de análise de imagem.