Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização dos genes alvo da toxina MqsR em Xylella fastidiosa: função regulatória e formação de células persistentes

Processo: 16/15741-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Alessandra Alves de Souza
Beneficiário:Isis Gabriela Barbosa Carvalho
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Transcriptoma   Caracterização genética   Análise de sequência de RNA   Regulação da expressão gênica   Genes   Controle de doenças   Xylella fastidiosa   Toxinas bacterianas

Resumo

A citricultura é uma das agroindústrias mais importantes do Brasil, destacando-se na produção mundial de suco de laranja. Entretanto, devido a problemas fitossanitários, houve um aumento do custo de produção e consequente diminuição da área plantada proporcionando safras menores do que as esperadas. Algumas doenças se enquadram neste contexto e uma delas é a Clorose Variegada dos Citros (CVC), causada pela bactéria Xylella fastidiosa, a qual teve seu genoma sequenciado, para que sua biologia fosse mais bem conhecida. Dentre muitos estudos que se sucederam, descobriu-se que esta bactéria possui operons que codificam para sistemas Toxina-Antitoxina (TA). Estes têm funções que passam desde a manutenção de plasmídeos até respostas regulatórias para modulação de genes chaves para adaptação bacteriana a condições adversas no ambiente. Por exemplo, a superexpressão da toxina MqsR (uma ribonuclease que degrada mRNAs com motivos GCU) em X. fastidiosa induz a um aumento da formação de biofilme, repressão do movimento celular e ausência de patogenicidade in planta. Ainda, elevação nos níveis de expressão da toxina MqsR foi observada quando X. fastidiosa foi exposta ao cobre, um composto antimicrobiano, produzindo alterações nas células, tais como a indução na formação de células persistentes. Estas são variantes fisiológicas da célula e que são capazes de sobreviver mesmo quando expostas a níveis letais de compostos tóxicos. O mecanismo detalhado pelo qual este processo ocorre ainda não é totalmente conhecido, sendo, portanto de grande interesse a identificação das sequências-alvo dos genes regulados pela toxina MqsR, para que se possa entender melhor o papel desta toxina na regulação gênica e na indução de células persistentes em X. fastidiosa.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CARVALHO, ISIS GABRIELA BARBOSA; MERFA, MARCUS VINICIUS; TEIXEIRA-SILVA, NATALIA SOUSA; MARTINS, PAULA MARIA MOREIRA; TAKITA, MARCO AURELIO; DE SOUZA, ALESSANDRA ALVES. Overexpression of mqsR in Xylella fastidiosa Leads to a Priming Effect of Cells to Copper Stress Tolerance. FRONTIERS IN MICROBIOLOGY, v. 12, SEP 20 2021. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.