Busca avançada
Ano de início
Entree

Distribuição espacial da diversidade funcional de girinos ao longo de gradientes climáticos na Mata Atlântica

Processo: 16/13164-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2016
Vigência (Término): 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Teórica
Pesquisador responsável:Fernando Rodrigues da Silva
Beneficiário:Thaís Regina Zanella
Instituição-sede: Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade (CCTS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Ecologia de comunidades   Mata Atlântica   Diversidade funcional

Resumo

É reconhecido que a distribuição espacial das espécies dentro das comunidades não é aleatória, mas sim reflete suas tolerâncias ecológicas compartilhadas. Por exemplo, se condições ambientais extremas (i.e., aridez) limitam a ocorrência de espécies com determinados atributos funcionais, o processo de filtragem ambiental aumenta a redundância funcional nas comunidades. Por outro lado, em locais com condições ambientais menos estressantes a complementaridade de nicho é considerada como o processo dominante permitindo uma maior diversidade funcional nas comunidades. Entretanto, estudos que avaliam a distribuição da diversidade funcional de vertebrados ao longo de gradientes climáticos dentro de regiões tropicais ainda são escassos. Neste projeto, pretendemos avaliar a distribuição espacial da diversidade funcional de girinos ao longo de gradientes climáticos na Mata Atlântica Brasileira. Para isso, testaremos três hipóteses climáticas que podem influenciar a diversidade funcional de girinos: i) Hipótese da Disponibilidade de Água - nossa predição é de que áreas com baixa precipitação e alta sazonalidade abrigariam menor diversidade funcional do que áreas com altas precipitações e baixa sazonalidade; ii) Hipótese do Balanço de Calor - nossa predição é que áreas com altas temperaturas ao longo do ano abriguem menor diversidade funcional do que áreas com maior sazonalidade na temperatura; e iii) Hipótese de efeito misto - nossa predição é que áreas com baixa precipitação e altas temperaturas abrigariam uma menor diversidade funcional do que áreas com altas precipitações e temperaturas moderadas. Portanto, levando em consideração os possíveis cenários de aquecimento global futuro, esparamos que nossos resultados possam auxiliar nas tomadas de decisões visando preservar a diversidade funcional de anfíbios ao longo de gradientes climáticos na Mata Atlântica. Este projeto está vinculado ao Projeto Jovem Pesquisador do orientador (FAPESP 2013/50714-0).