Busca avançada
Ano de início
Entree

Engenharia de Sistemas para o GMACS: projeto GMT AT-13

Processo: 16/16844-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Instrumentação Astronômica
Pesquisador responsável:Augusto Damineli Neto
Beneficiário:Daniel Moser Faes
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/51680-6 - Explorando o universo: da formação de galáxias aos planetas tipo-terra, com o Telescópio Gigante Magellan, AP.ESP
Bolsa(s) vinculada(s):19/14128-5 - Ciência e desenvolvimento instrumental de espectrógrafos infravermelhos de alta resolução baseados em rede de imersão, BE.EP.PD
Assunto(s):Instrumentação   Instrumentação (astronomia)

Resumo

Desde a entrada da FAPESP no projeto GMT e a criação do chamado GMTBrO (GMT Brazil office), busca-se colaborar com outros membros na concepção dos instrumentos a serem instalados no GMT. Para o espectrógrafo GMACS, o candidato escolhido será treinado na área de instrumentação e engenharia de sistemas; fará a ponte entre a parte científica e a técnica do projeto além de ser um profissional com uma visão geral do projeto, pois fará a interface com todos os engenheiros mecânicos e óticos (com base no Brasil e EUA), o grupo de software (que tem sua base na Coréia do Sul) e o grupo de eletrônica, sem perder o contato com o grupo de cientistas. O escolhido trabalhará como membro integrante da equipe, na USP e na Texas A&M University. O GMACS é um espectrógrafo de amplo campo que estará operacional em primeira luz do GMT. Ele terá dois braços, um azul e outro vermelho, e terá por objetivo a observação espectroscópica em média resolução. Observará desde exoplanetas, estrelas em outras galáxias até galáxias no Universo distante. Uma abordagem sistêmica é cada vez mais utilizada no desenvolvimento de projetos de engenharia. Nessa abordagem, um projeto é concebido usando métodos da Engenharia de Sistemas e usando o conceito de ciclo-de-vida, onde todas as fases da vida do sistema, desde o levantamento da necessidade de sua existência até sua desativação, são planejadas. Na fase de desenvolvimento do sistema, o conceito de desenvolvimento "top-down" é usado, isto é, se parte dos requisitos do sistema e se desenvolvem os requisitos de seus subsistemas e outros níveis hierárquicos inferiores até o nível de componentes que podem ser subcontratados ou diretamente adquiridos no mercado. Essa abordagem foi, durante décadas, somente utilizada em grandes projetos militares e espaciais e demonstrou ser a mais adequada para garantir o sucesso do desenvolvimento e o cumprimento das metas de prazos e custos. O GMTO (Giant Magellan Telescope Organization), o financiador do desenvolvimento do instrumento GMACS, segue uma abordagem de Engenharia de Sistemas no desenvolvimento do telescópio e recomenda que também se siga essa abordagem no desenvolvimento dos instrumentos do telescópio, especificamente para o instrumento GMACS. De fato, para aumentar as chances de sucesso, é fundamental que as equipes de um projeto compreendam a importância de se identificar e gerenciar os requisitos do instrumento e evitar surpresas ruins ao longo do projeto. O GMTO define as seguintes fases de ciclo-de-vida: Concepção, Projeto Preliminar, Projeto Detalhado, Fabricação, Integração, Testes e Comissionamento, Operação, Desativação. A fase de concepção deve ter uma duração de 19 meses, a partir de 1/9/2016. A fase de operação está prevista para se iniciar dentro de 6 anos e ter uma duração de até 20 anos. Estão previstas as seguintes tarefas para a fase de concepção:1. Colaborar na preparação dos requisitos científicos para o instrumento GMACS.2. Colaborar na determinação dos requisitos funcionais e de desempenho do instrumento GMACS.3. Colaborar na determinação dos modos e estados do instrumento GMACS.4. Colaborar na preparação do documento de conceito de operação do instrumento GMACS.5. Identificar os requisitos de controle e comando do software do instrumento GMACS.6. Identificar os requisitos do software de interface com o usuário do instrumento GMACS.7. Identificar os requisitos de tratamento de dados do software do instrumento GMACS.8. Colaborar na preparação de documentos de requisitos do instrumento GMACS.9. Familiarizar-se com os requisitos de software.10. Relacionar-se com os responsáveis pelo desenvolvimento do software do observatório.11. Preparar a especificação dos requisitos de software do GMACS.12. Colaborar na preparação de análises, estudos, modelos, relatórios.13. Colaborar nas análises de "trade-off" das possíveis soluções para o GMACS.Espera-se que haverá publicações que serão submetidas a revistas de instrumentação. (AU)

Publicações científicas (7)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PANOGLOU, DESPINA; FERNANDES, MARCELO BORGES; BAADE, DIETRICH; FAES, DANIEL M.; RIVINIUS, THOMAS; CARCIOFI, ALEX C.; OKAZAKI, ATSUO T. Modelling the periodical variations in multiband polarization and photometry for discs of binary Be stars. Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, v. 486, n. 4, p. 5139-5157, JUL 2019. Citações Web of Science: 0.
DIOGO SOGA; DANIEL MOSER FAES; MIKIYA MURAMATSU. Looking to the blue sky with colored patterns. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 41, n. 1, p. -, 2019.
GHOREYSHI, M. R.; CARCIOFI, A. C.; RIMULO, L. R.; VIEIRA, R. G.; FAES, D. M.; BAADE, D.; BJORKMAN, J. E.; OTERO, S.; RIVINIUS, TH. The life cycles of Be viscous decretion discs: The case of omega CMa. Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, v. 479, n. 2, p. 2214-2228, SEP 2018. Citações Web of Science: 4.
RIMULO, L. R.; CARCIOFI, A. C.; VIEIRA, R. G.; RIVINIUS, TH.; FAES, D. M.; FIGUEIREDO, A. L.; BJORKMAN, J. E.; GEORGY, C.; GHOREYSHI, M. R.; SOSZYNSKI, I. The life cycles of Be viscous decretion discs: fundamental disc parameters of 54 SMC Be stars. Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, v. 476, n. 3, p. 3555-3579, MAY 2018. Citações Web of Science: 7.
SHOKRY, A.; RIVINIUS, TH.; MEHNER, A.; MARTAYAN, C.; HUMMEL, W.; TOWNSEND, R. H. D.; MERAND, A.; MOTA, B.; FAES, D. M.; HAMDY, M. A.; BEHEARY, M. M.; GADALLAH, K. A. K.; ABO-ELAZM, M. S. Stellar parameters of Be stars observed with X-shooter. Astronomy & Astrophysics, v. 609, JAN 25 2018. Citações Web of Science: 3.
PANOGLOU, DESPINA; FAES, DANIEL M.; CARCIOFI, ALEX C.; OKAZAKI, ATSUO T.; BAADE, DIETRICH; RIVINIUS, THOMAS; FERNANDES, MARCELO BORGES. Be discs in coplanar circular binaries: Phase-locked variations of emission lines. Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, v. 473, n. 3, p. 3039-3050, JAN 2018. Citações Web of Science: 4.
KLEMENT, R.; CARCIOFI, A. C.; RIVINIUS, T.; MATTHEWS, L. D.; VIEIRA, R. G.; IGNACE, R.; BJORKMAN, J. E.; MOTA, B. C.; FAES, D. M.; BRATCHER, A. D.; CURE, M.; STEFL, S. Revealing the structure of the outer disks of Be stars. Astronomy & Astrophysics, v. 601, MAY 2017. Citações Web of Science: 8.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.