Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in vitro da atividade de possíveis lectinas de Paracoccidioides brasiliensis sobre eventos da imunidade adaptativa

Processo: 16/16034-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Fabrício Freitas Fernandes
Beneficiário:Marcia de Almeida
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Lectinas   Paracoccidioides brasiliensis   Imunidade adaptativa   Expressão de proteínas

Resumo

Lectinas são uma classe de proteínas ligantes de carboidratos. Elas apresentam um elevado potencial de aplicação terapêutica e biotecnológica. As lectinas fúngicas têm atraído grande atenção devido às atividades antitumorais, antiproliferativa e imunomoduladora. Embora tenha crescido o interesse em lectinas fúngicas, poucas destas proteínas têm sido caracterizadas ou produzidas de forma recombinante, o que está associado com o potencial uso destas lectinas em terapia. Neste contexto, a clonagem, expressão e purificação de lectinas fúngicas são necessárias. O nosso grupo vem desenvolvendo estudos com lectinas de patógenos, como a Paracoccin, que é obtida a partir de Paracoccidioides brasiliensis. Sabe-se que P. brasiliensis e P. lutzii causam a paracoccidioidomicose (PCM), a qual é caracterizada como micose sistêmica. As formas clínicas de PCM varia dependendo da resposta imunitária do hospedeiro. A elevada incidência de casos de PCM no Brasil, a gravidade do estado clínico, e a elevada toxicidade de antifúngico, são fatores que explicam a importância dos estudos para identificar novas moléculas que podem atuar na resolução da PCM. Neste sentido, foram identificadas duas possíveis lectinas de P. brasiliensis que temos a intenção de investigar as atividades biológicas destas proteínas. Por isso, propõe-se a clonagem e expressão das proteínas putativas PADG_07152 e PADG_01036 de P. brasiliensis empregando o sistema de expressão em Pichia pastoris. Depois disso, a caracterização das atividades biológicas de PADG_07152 e PADG_01036 de P. brasiliensis será avaliada nas células da imunidade adaptativa. Este estudo contribuirá para identificar novas moléculas como potenciais ferramentas terapêuticas contra a PCM. E, além disso, o estudo dessas proteínas abre perspectivas para identificar outras atividades, como por exemplos, antitumorais e antiproliferativas, desempenhadas por diferentes lectinas já conhecidas e bem caracterizadas. (AU)