Busca avançada
Ano de início
Entree

Atividade moduladora da alga Chlorella em pacientes com intolerância à glicose e diabetes tipo 2

Processo: 16/08726-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 30 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Mary Luci de Souza Queiroz
Beneficiário:Tamara Cristina Lopes de Castro
Instituição-sede: Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOCENTRO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Resistência à insulina   Diabetes mellitus tipo 2   Chlorella vulgaris

Resumo

A alga Chlorella é considerada um agente adaptógeno, modificador de resposta biológica, como demonstrado pela sua atividade moduladora frente a diferentes tipos de estresse, tanto em seres humanos como em animais de experimentação. Estudos recentes do nosso laboratório demonstraram, de forma pioneira na literatura, que a capacidade da Chlorella de prevenir a resistência à insulina em animais obesos é em parte devido à melhoria da via de sinalização da insulina no fígado, músculo esquelético e tecido adiposo, através do aumento na fosforilação de proteínas, tais como IR, IRS-1 e Akt e redução na fosforilação do IRS-1ser307. Além disso, o tratamento com a alga restaurou os níveis aumentados de triglicerídeos, colesterol total, frações de colesterol, bem como a concentração de ácidos graxos livres, observado nos animais obesos. Resistência à insulina é um importante mecanismo fisiopatológico que prevê a progressão para diabetes tipo 2 (DT2), assim como todas as complicações adicionais observadas nessa doença. Embora o tratamento farmacológico do DT2 tenha alguma eficácia, ele apresenta sérios efeitos colaterais. Paralelamente aos efeitos moduladores da alga nos parâmetros fisiopatológicos, melhora na qualidade de vida é uma constante nos estudos clínicos realizados com a alga. Portanto, a busca por agentes naturais que minimizem esses efeitos indesejáveis, mantendo a eficácia na regulação dos distúrbios observados, aumentando a qualidade de vida vem recebendo cada vez mais atenção. Nesse sentido, a alga Chlorella surge como uma alternativa para o tratamento de complicações relacionadas com doenças relacionadas à resistência à insulina. Dentro desse contexto, consideramos original e promissora a proposta do presente trabalho de investigar os efeitos do tratamento com Chlorella em pacientes com intolerância à glicose e com DT2.