Busca avançada
Ano de início
Entree

Correlação clinicopatológica entre o escore focal e a frequência de centros germinativos nos infiltrados linfocíticos na Síndrome de Sjogren

Processo: 16/14636-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Jorge Esquiche León
Beneficiário:Karen Cristine Bortoletto
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Glândulas salivares menores   Imuno-histoquímica   Síndrome de Sjögren   Patologia bucal

Resumo

A síndrome de Sjögren (SS) é uma doença autoimune crônica, que afeta principalmente as glândulas salivares e lacrimais, causando xerostomia (boca seca) e xeroftalmia (olhos secos). Estima-se que 0,5% da população seja portadora da SS, a maioria mulheres (9:1). O dentista tem grande importância no diagnóstico, uma vez que muitas alterações orais estão relacionadas à doença, como xerostomia, candidíase, cárie, alterações no paladar e atrofia de papilas linguais. O tratamento é sintomático, incluindo o uso de lágrima e saliva artificiais. Notavelmente, o diagnóstico histopatológico das glândulas salivares menores (GSMs) (mostrando sialadenite linfocítica focal [SLF], com escore focal [EF] igual ou maior que 1), é um critério diagnóstico importante para definir SS. Na SLF, pode ser detectada, em muitos casos, centros germinativos (CGs) ectópicos, os quais têm sido relacionados a um maior risco de desenvolvimento de linfoma tipo MALT, bem como alterações sorológicas. Além da análise morfológica, os imumarcadores CD10, CD23 e Bcl-6 podem eficientemente detectar CGs, incluindo aqueles em estágios iniciais da formação (difíceis de observar na análise morfológica). Não há estudos na população brasileira que mostre a prevalência dos CGs, em correlação com o EF, na SS. Estudos desta natureza representam uma valiosa oportunidade de identificar o perfil desses pacientes com risco para desenvolver linfoma tipo MALT, a neoplasia linfóide mais comum na SS. Assim, a proposta deste projeto é estudar a frequência dos CGs, em correlação com o EF, em biópsias de GSMs (n=50) na SS, através da análise morfológica e imunoistoquímica (usando os marcadores CD10, CD23 e Bcl-6).