Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito antagonista de probióticos vivos sobre o crescimento de Candida Albicans em superfície de resina acrílica para próteses dentárias

Processo: 16/16579-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2016
Vigência (Término): 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Aimée Maria Guiotti
Beneficiário:Gabriella Queiroz Costa
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Probióticos   Candida albicans   Biofilmes   Estomatite sob prótese   Prótese dentária   Resinas acrílicas

Resumo

A estomatite protética é frequentemente associada à colonização microbiana da base acrílica das próteses, favorecida pela higiene deficiente das mesmas e pelo alto nível de Candida spp. na cavidade oral. A Candida albicans é a espécie fúngica mais comumente associada à esta patologia oral, geralmente tratada com antifúngicos. O uso indiscriminado destas drogas pode promover resistência destas cepas e efeitos colaterais aos indivíduos. Assim, é desejável promover a saúde por meio de terapias naturais ou alternativas, tais como a utilização de microrganismos probióticos. Eles estão disponíveis como suplementos dietéticos e são comumente adicionados aos alimentos, incluindo uma larga variedade de microrganismos, como os Lactobacillus e os Bifidobacterium. Os probióticos são conhecidos pela capacidade de inibirem o crescimento de microrganismos patogênicos pela ação competitiva, antagônica, e imunológica. Estudos têm mostrado resultados promissores sobre a ação dos probióticos na cavidade oral, no entanto, a literatura é escassa na interação materiais dentários e probióticos. O objetivo desta pesquisa será avaliar in vitro, a influência de seis diferentes probióticos utilizados em produtos alimentícios, na inibição da formação de biofilme de C. albicans em resina acrílica ativada termicamente (RAAT) para base protética. 80 amostras de RAAT serão divididas em 6 grupos de probióticos (n=10), um grupo placebo (controle negativo - saliva artificial) e um controle positivo (clorexidina a 0,12%). Biofilmes de C. albicans serão formados sobre as superfícies das amostras de RAAT na presença dos probióticos. Para a quantificação do biofilme, o número de células cultiváveis nas amostras de RAAT será avaliado por contagem de unidades formadoras de colônias (UFCs) e pelo ensaio de redução de XTT. Os dados obtidos serão submetidos à análise estatística (IBM SPSS 20.0, Armonk, NY, USA).