Busca avançada
Ano de início
Entree

O uso do ultrassom de baixa intensidade, paratormônio ou alendronato de sódio na consolidação de fraturas do fêmur de ratos com lesão medular

Processo: 16/13026-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:José Batista Volpon
Beneficiário:Mariana Maloste Butezloff
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Consolidação da fratura   Osso e ossos   Paratormônio   Terapia por ultrassom   Paraplegia

Resumo

Fundamento: Fratura é ocorrência frequente em lesados medulares em virtude da acentuada osteoporose, comprometendo também o processo reparatório que resulta em calo ósseo de má qualidade, ou mesmo anomalias de consolidação. Assim, é interessante a busca de processos terapêuticos que melhorem o reparo ósseo nessa população. Objetivo: Avaliar os resultados da terapêutica com ultrassom de baixa intensidade, paratormônio ou alendronato de sódio na qualidade do calo ósseo de fraturas de fêmur do rato com lesão medular. Material e Métodos: 75 ratos machos distribuídos em 5 grupos (n=15/grupo): (1) ratos normais submetidos à fratura; (2) ratos com lesão medular e fratura; (3) ratos com lesão medular, fratura e tratados com ALE; (4) ratos com lesão medular, fratura e tratados com PTH e (5) ratos com lesão medular, fratura e tratados com ultrassom. A medula espinhal sofrerá lesão completa por meio da técnica aberta no nível da décima vértebra torácica. No grupo controle a medula será apenas exposta. A fratura será provocada 10 dias após a lesão medular, no centro do fêmur (mediodiafisária) e fixada com fio de aço no canal medular. A terapêutica em cada grupo será aplicada durante as duas semanas seguintes à fratura. A avaliação da qualidade óssea e do calo será feita pelo microCT, resistência mecânica, microscopia óptica (imunoistoquímica com marcadores de formação e reabsorção óssea), dosagem de marcadores bioquímicos de formação e reabsorção óssea (anti-RANK, anti-RANKL, anti-OPG, antisclerostin e anti-OC) e adiponectinas. Por fim, será feita a análise molecular, por PCR em tempo real, para avaliar a expressão gênica.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
BUTEZLOFF, Mariana Maloste. O uso do ultrassom de baixa intensidade, paratormônio ou alendronato de sódio na consolidação de fraturas do fêmur de ratos com lesão medular. 2018. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.