Busca avançada
Ano de início
Entree

A cultura de mioblastos slow como um modelo para a compreensão da miogênese e crescimento do músculo de contração lenta

Processo: 16/19683-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Maeli Dal Pai
Beneficiário:Bruno Oliveira da Silva Duran
Supervisor no Exterior: Daniel Garcia de La Serrana
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of St Andrews, Escócia  
Vinculado à bolsa:15/03234-8 - Cultura de mioblastos do pacu (Piaractus mesopotamicus) como um modelo para entender a regulação do crescimento muscular na superordem Ostariophysi, BP.DR
Assunto(s):Miogênese   Músculo esquelético   Sistema musculoesquelético   MicroRNAs

Resumo

O músculo esquelético é o tecido biológico mais abundante em peixes teleósteos constituindo cerca de 65% da massa corporal. As fibras musculares esqueléticas são geralmente classificadas em fast (contração rápida) e slow (contração lenta), que apresentam diferentes propriedades contráteis e metabólicas e estão localizadas em compartimentos distintos. Uma classe de pequenos RNAs não codificantes, conhecidos como microRNAs, desempenha uma importante regulação pós-transcricional de genes, controlando diversos aspectos do desenvolvimento muscular. A cultura de mioblastos em peixes está surgindo como uma ferramenta muito útil para o estudo in vitro da regulação do crescimento muscular, pois recapitula todas as etapas da miogênese: comprometimento dos mioblastos, proliferação, fusão e formação de miotubos. Além disso, as culturas de mioblastos podem ser manipuladas para a avaliação do papel de diferentes fatores na regulação da miogênese e do crescimento do músculo esquelético. A compartimentalização da musculatura esquelética de peixes permite o estabelecimento de culturas individuais de mioblastos provenientes dos músculos fast e slow, de modo que as diferenças fisiológicas entre esses tecidos podem ser melhor estudadas nesses sistemas. No entanto, as culturas de mioblastos foram desenvolvidas somente a partir do músculo esquelético fast, enquanto um modelo similar para o músculo slow ainda precisa ser estabelecido e explorado. Nesse trabalho nós pretendemos estabelecer as culturas celulares de mioblastos slow a fim de suplantar a lacuna existente no conhecimento sobre o desenvolvimento e crescimento do músculo de contração lenta, em comparação ao músculo de contração rápida. O estudo comparativo entre as culturas de mioblastos fast e slow, especialmente com relação ao papel de miRNAs, será útil para a investigação de diferenças entre as vias moleculares que controlam as propriedades miogênicas, metabólicas, contráteis e fisiológicas dos distintos tipos musculares. Nosso trabalho contribuirá para uma melhor compreensão da regulação do processo de miogênese em peixes, permitindo o desenvolvimento de um quadro teórico que pode proporcionar melhorias no crescimento muscular.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.