Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise morfométrica da Bacia do Rio Cabeça (SP)

Processo: 16/19564-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2016
Vigência (Término): 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geografia Física
Pesquisador responsável:Cenira Maria Lupinacci
Beneficiário:Marina Zumpano Camargo
Instituição-sede: Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Geomorfologia   Bacia hidrográfica   Tectônica de placas   Morfometria   Relevo   Levantamentos topográficos   Mapeamento geográfico

Resumo

O contexto regional de formação da Depressão Periférica Paulista e das Cuestas é muito complexa. Ab´Saber (1969) afirma que devido ao processo de desnudação marginal, aos poucos foi surgindo uma grande depressão periférica subseqüente, a qual produziu um segundo patamar de sedimentos, desenvolvendo-se o front do relevo cuestiforme para o interior. As cuestas são denominadas por Troppmair (2000) como sendo um degrau na geomorfologia da paisagem, localizando-se no sentido norte-sul do Estado, representando uma área de 14.000 km2. Assim, a Depressão Periférica Paulista apresenta um relevo bem erodido e em poucas áreas uma formação ondulada (TROPPMAIR, 2000). Dessa maneira, a presente pesquisa tem por objetivo estudar os elementos morfoestruturais que compõem a bacia do rio Cabeça, cujas nascentes encontram-se no front e reverso da cuesta, com o propósito de avaliar as influências tectônicas no relevo regional. Para alcançar tal finalidade, serão realizados mapeamentos, os quais terão por base as cartas topográficas do IBGE, assim como imagens aerofotogramétricas de 1988, que auxiliarão na elaboração dos mapas de densidade de drenagem, profundidade de drenagem, declividade e lineamentos. Tais procedimento serão realizados no programa ArGis 9.2. A partir dos mapeamentos, será efetuada uma avaliação dos dados, para que as influências tectônicas sejam identificadas e possam auxiliar em um melhor entendimento na configuração do relevo atual.