Busca avançada
Ano de início
Entree

Educação Física Escolar, práticas corporais e lazer de alunos evangélicos

Processo: 16/13375-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Ensino-aprendizagem
Pesquisador responsável:Cinthia Lopes da Silva
Beneficiário:Talita de Carvalho Sajorato
Instituição-sede: Faculdade de Ciências da Saúde. Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). Instituto Educacional Piracicabano. Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Educação física escolar   Educação física   Etnografia   Ensino e aprendizagem   Lazer   Práticas corporais   Entrevistas (psicologia)

Resumo

É fato o expressivo aumento do número de alunos evangélicos nas escolas brasileiras e a forma como estes segmentos religiosos influenciam sobremaneira na regulação dos comportamentos e dos corpos de seus fiéis, agenciando, inclusive, a relação das crianças e adolescentes com a aula de Educação Física e com as práticas corporais. Estas questões, por sua vez, afetam diretamente a relação destes sujeitos com o tempo livre e com as práticas de lazer. São muitos os alunos evangélicos que sofrem restrições da família e da Igreja no que diz respeito à participação em jogos, danças, e em tantos outros conteúdos da Educação Física e do lazer. Partimos, no entanto, do pressuposto de que uma "boa" aula de Educação Física seja capaz de gerar no aluno a reflexão sobre estas questões e o desejo de continuar praticando tal atividade fora da escola, o que, consequentemente, pode influenciar em suas práticas de lazer. O objetivo deste projeto é, portanto, analisar como e se a experiência afetiva com as práticas corporais durante as aulas de EF são capazes de transformar a relação de alunos evangélicos com estas práticas e com o "uso do corpo" no tempo livre, extraescolar. Para isso lançaremos mão de pesquisa etnográfica, que será realizada em escolas públicas no Município de Piracicaba - SP. Selecionarei duas escolas e em cada uma delas um professor de EF, bem como alguns alunos pertencentes às igrejas evangélicas tradicionais. Além da observação e registro em caderno de campo, buscaremos conversar diariamente com os sujeitos. Realizaremos, ainda, entrevistas semiestruturadas com a intenção de compreender o que pensam e sentem em relação a estas questões e como constroem suas relações cotidianas com as práticas corporais neste movimento de tensão entre os conhecimentos repassados pela igreja e aqueles produzidos nas aulas de Educação Física.