Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização, produção e avaliação de biofertilizante organomineral a base de palha de cana-de-açúcar pirolisada

Processo: 16/13813-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2016
Vigência (Término): 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Henrique Coutinho Junqueira Franco
Beneficiário:Bernardo Melo Montes Nogueira Borges
Instituição-sede: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/09464-3 - Fertilizante biochar em cana-de-açúcar - entendendo efeitos residuais, BE.EP.PD
Assunto(s):Cana-de-açúcar   Fertilidade do solo   Biocarvão   Resíduos orgânicos

Resumo

Após a mecanização da colheita da cana-de-açúcar um novo resíduo orgânico é gerado: a palha (composta por folhas secas, ponteiros e folhas verdes). Esse material tem impactos positivos na produtividade da cultura, como a ciclagem de nutrientes e manutenção de umidade no solo em períodos de estresse hídrico. Entretanto, em algumas condições de clima e solo, a manutenção da palha no campo aumenta a incidência de pragas, diminui a brotação da cultura e potencializa os danos de geadas. O setor sucroenergético está longe de chegar há um consenso de quanto desse material poderia ser retirado do campo e empregado na indústria, sendo que inúmeras pesquisas têm sido realizadas para responder essa questão. Nessa proposta pretendemos aumentar as opções de uso de palha na indústria sucroenergética, por meio do uso de palha como matéria prima para a produção de biofertilizante organomineral utilizando o processo de pirólise para a produção de biocarvão (base para o biofertilizante), bio-gás e bio-óleo. Com o presente trabalho propõe-se desenvolver, caracterizar e validar o processo de produção de biofertilizante organomineral bem como sua eficiência quando fornecido às plantas de cana-de-açúcar. O projeto será todo em escala de bancada, sendo a palha de cana-de-açúcar recolhida por enfardamento (10% de umidade) submetida ao processo de pirólise lenta. Uma caracterização quanto às propriedades físicas e químicas da palha de cana-de-açúcar antes e após a produção do biocarvão bem como do biofertilizante organomineral será realizada. Posterior a isso, será instalado experimento em casa de vegetação com mudas de cana-de-açúcar em um delineamento inteiramente casualizado por dois ciclos, em que os tratamentos serão os biofertilizantes organomineral a base de biocarvão e uma fonte padrão (superfosfato triplo). Serão avaliados produção de massa seca da parte aérea e das raízes, teor de P no solo, P acumulado na massa seca da parte aérea e das raízes, morfologia radicular, eficiência agronômica, eficiência de uso de fósforo e efetuar um estudo de simulação técnica/econômica da produção do fertilizante. Espera-se, que esses fertilizantes organomineral apresentem características físico-químicas e eficiência agronômica superiores aos convencionais, e que apresentem indicadores técnicos-econômicos que possibilitem, caso a hipótese do projeto seja comprovada, seu escalonamento de produção. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.