Busca avançada
Ano de início
Entree

Estação de exposição autônoma e modular para lentes de óculos de sol para longa exposição à radiação solar

Processo: 16/13053-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Engenharia Médica
Pesquisador responsável:Liliane Ventura Schiabel
Beneficiário:Felipe Marques da Silva
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Radiação solar   Resistência mecânica   Raios ultravioleta   Irradiação   Soluções oftálmicas   Óculos de sol   Protótipo

Resumo

Este projeto, faz parte de uma pesquisa mais ampla já em andamento, conduzida pela Profª. Drª. Liliane Ventura, que visa avaliar os efeitos da exposição prolongada de radiação solar ao material das lentes em relação à resistência mecânica, transmitância dos filtros e outras características (FAPESP processo 2014/16938-0) e que tem como objetivo principal realizar estudos em óculos de sol para contribuir com a nacionalização da norma brasileira NBR ISO13212-1:2015, sugerindo parâmetros mais adequados à realidade nacional. A primeira norma brasileira para proteção ultravioleta em óculos de sol, NBR15111, foi redigida e publicada em 2003. De 2010 a 2013, em contribuição à revisão e redação desta norma, a Escola de Engenharia de São Carlos (USP) participou, através da Profa. Dra. Liliane Ventura, do comitê CB49 e do comitê principal para alterações desta norma. Esta norma brasileira era até então uma cópia fiel (espelho) da norma Européia, BSEN1836, e a principal alteração, até o momento, foi referente à extensão do intervalo de análise da proteção ultravioleta em óculos de sol que, passou de 280 - 380nm para 280-400nm e o teste de resistência à irradiação passou de 25h para 50h. Isto foi baseado em resultados de estudo realizado no processo 2011/06079-2 da FAPESP e também da interação com profissionais que participam dos comitês de normas americanos, tais como Herbert Hoover pessoalmente e David Sliney (à distância), membros do comitê americano de normas para óculos de sol. Em estudos realizados no processo anterior da FAPESP - 2011/06079-2- onde um quiosque de auto atendimento ficou disponível ao público, das 879 medidas realizadas, 20% dos óculos estão com a proteção ultravioleta não conformes. Este número é bastante alto, conforme declarou o presidente do Sindióptica - Sr. Luis Alberto Perez. Este estudo resultou em artigo HIGHLY ACCESSED (http://www.biomedical-engineering-online.com/content/13/April/2014) e teve repercussão internacional, onde a rede de notícias BBC News fez uma reportagem, que foi ao ar por 3 vezes em Junho de 2014, e cujo link para a reportagem encontra-se em: http://www.bbc.com/news/health-28040792 ou www.sel.eesc.usp.br/lio/BBCNEWS. Também realizou uma segunda reportagem, que encontra-se no link: http://www.bbc.com/news/health-28452943. Pelos estudos realizados, há indicação que a proteção ultravioleta se degrada com o uso e exposição dos óculos solares à radiação ultravioleta natural. Assim, neste projeto será construído um protótipo para irradiação de lentes de óculos de sol, onde uma das lentes dos óculos será submetida ao simulador solar; a outra no protótipo. Este protótipo consiste de um conjunto de painéis para abrigar 100 lentes, dispostas na posição de uso, vertical, onde serão irradiadas pelo sol desde o nascer até se pôr. Os painéis serão expostos ao Sol deverá girar no sentido do sol, de forma que as lentes sejam sempre irradiadas pela frente e ortogonalmente. Sensores de umidade e de poeira (para dias chuvosos e/ou com queimadas de cana) serão instalados para recolher os painéis e proteger os óculos de intempéries indesejáveis, bem como uma câmera para visualização do painel durante todo o tempo. Um sensor para determinar o índice ultravioleta que as lentes estão sendo irradiadas será acoplado ao sistema e os dados registrados, bem como enviados a um painel que ficará em exposição ao público. O horário de exposição e o índice UV (a cada 21 s) serão automaticamente registrados, e a abertura ou fechamento automáticos da tampa também poderão ser interferidos por um site de controle, a partir de um PC. As lentes, antes de serem colocadas serão submetidas a testes óticos pertencentes ao projeto maior. O período de exposição das lentes é de 24 meses, então é importante que os painéis aqui desenvolvidos possam operar sem falhas por este período, registrando todos os dados necessários e permitindo que medidas nas lentes sejam feitas a cada 30 dias.