Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise dos efeitos do exercício excêntrico nos diferentes tipos de fibras musculares e na força de contração de fibras únicas permeabilizadas de músculos distróficos

Processo: 16/21048-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Anabelle Silva Cornachione
Beneficiário:Emilly Sigoli
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07104-6 - Efeitos do exercício excêntrico na reabilitação do músculo esquelético de camundongos mdx após longo período de treinamento: avaliações morfológica, funcional e molecular, AP.JP
Assunto(s):Morfologia (anatomia)   Distrofia muscular de Duchenne   Modelos animais de doenças   Cadeias pesadas de miosina

Resumo

Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) é uma doença genética degenerativa de caráter recessivo ligada ao cromossomo X que se caracteriza pela ausência da proteína distrofina, que determina degeneração e fraqueza muscular progressivas, ocasionando óbito do paciente por falência respiratória. Essas alterações podem ser subsequentes à mudanças do conteúdo da cadeia pesada da miosina (MHC), tornando um músculo vital, como o diafragma, mais susceptível à fadiga. O exercício excêntrico é um recurso terapêutico que veem sendo, cada vez mais, explorado com objetivo de reverter e/ou retardar tais transformações. Sendo assim, pretende-se com este estudo avaliar os efeitos do exercício excêntrico sobre os diferentes tipos de cadeia pesada da miosina dos músculos sóleo e diafragma de camundongos mdx e analisar se há diferença da força de contração entre os diferentes tipos de fibras. Métodos: Serão utilizados camundongos machos com idade média entre 4 e 6 semanas, divididos em grupos: mdx Sedentários; mdx Treinados em esteira; wild type Sedentários; wild type Treinados em esteira. Cada grupo terá 2 subgrupos, conforme o período de treinamento 1 dia e 9 dias. Após os períodos de treinamento os animais serão eutanasiados e fragmentos dos músculos sóleo e diafragma serão obtidos para análise dos diferentes tipos de fibras musculares, através da técnica de imunofluorescência. Para análise da força isométrica total das fibras musculares será utilizado um sistema de análise de fibra única e testes mecânicos serão realizados para medir força ativa com sarcômero no comprimento 2.5um. Resultados esperados: Após o treinamento agudo de 1 dia, espera-se observar aumento das alterações histopatológicas dos músculos distróficos, sem alterações expressivas nos diferentes tipos de fibras e na força isométrica das fibras únicas. Já após 9 dias de treinamento excêntrico, espera-se observar nas lâminas histológicas aumento do processo de regeneração muscular, dos animais distróficos, acompanhado de alterações dos tipos e fibras e aumento da força de contração das fibras únicas. (AU)