Busca avançada
Ano de início
Entree

Obtenção de porta-enxerto Swingle transformado com o gene rpfF de Xylella Fastidiosa

Processo: 16/20629-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2016
Vigência (Término): 31 de maio de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Vegetal
Pesquisador responsável:Alessandra Alves de Souza
Beneficiário:Marcos Antonio de Godoy Filho
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/10957-0 - Interação Xylella fastidiosa-inseto vetor-planta hospedeira e abordagens para o controle da clorose variegada dos citros e cancro cítrico, AP.TEM
Assunto(s):Citrus   Percepção de Quorum   Plantas geneticamente modificadas   Porta-enxertos   Xylella fastidiosa

Resumo

O Brasil é um dos maiores produtores de laranja e seus derivados, e apresenta um mercado muito organizado e competitivo, que movimenta bilhões de dólares todo ano. Porém existem vários entraves para o aumento da produtividade, e a ocorrência de diversas doenças é uma delas. Doenças bacterianas como Greening (Huanglongbing/HLB), Clorose Varigada dos Citros (CVC) e o cancro cítrico diminuem a produtividade dos pomares trazendo prejuízos ao citricultor. A CVC é causada pela bactéria Xylella fastidiosa, que se adere as paredes do xilema formando um biofilme, que interrompe a passagem de água e sais minerais, causando uma redução drástica do tamanho dos frutos, tornando-os impróprios ao mercado de suco concentrado. O cancro cítrico é causado pela bactéria Xanthomonas citri pv. citri,e apresenta um difícil manejo, os sintomas aparecem principalmente nas folhas e frutos. Em plantas altamente afetadas, o cancro provoca a queda prematura de frutos, levando a uma perda de produção. Os dois fitopatógenos em questão apresentam um cluster de genes chamado rpf (regulator of pathogenicityfactors) que está envolvido na regulação do Quorum Sensing. Os três principais genes desse cluster são rpfF que codifica uma enzima que sintetiza moléculas de ácido graxo, conhecidas como pequenos sinais difusíveis (DSF), essa molécula é reconhecida por uma proteína de membrana codificada por rpfC, que através de fosforilações, ativa o regulador transcricional RfpG, transcrita pelo terceiro gene, o rfpG, modulando a expressão de genes associados a virulência dos dois fitopatógenos. Utilizando uma abordagem de 'confusão' dos fitopatógenos, plantas superexpressando rpfF foram obtidas através de transformação, onde o DSF interferiu no Quorum Sensing, diminuindo a virulência de ambas as bactérias.Essa abordagem vem apresentando resultados promissores em variedades de laranjeiras-doces transformadas, entretanto a aceitação de plantas transgênicas ainda é um entrave. Dessa maneira, a hipótese desse projeto que é o porta-enxerto transformado, poderia translocar o DSF para uma copa não transgênica, e aumentar a tolerância da planta a esses fitopatógenos.