Busca avançada
Ano de início
Entree

RNA-seq para identificação e validação de genes diferencialmente expressos relacionados ao comportamento higiênico em abelhas Apis mellifera africanizadas

Processo: 16/10133-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 26 de agosto de 2016
Vigência (Término): 25 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Érica Weinstein Teixeira
Beneficiário:Érica Weinstein Teixeira
Anfitrião: Amy Toth
Instituição-sede: Departamento de Descentralização do Desenvolvimento (APTA Regional). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Iowa State University, Estados Unidos  
Assunto(s):Apicultura   Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa quantitativa (qRT-PCR)   Patógenos

Resumo

Além de defesas mecânicas, fisiológicas e imunológicas individuais que insetos sociais como as abelhas A. mellifera apresentam contra patógenos, existem alguns comportamentos de grupo que podem limitar que doenças se estabeleçam em tais organismos, dentre os quais o comportamento higiênico - mais recentemente considerado uma das formas de "imunidade social". O comportamento higiênico em abelhas Apis mellifera pode ser definido como a habilidade que as abelhas apresentam para detectar e desopercular células contendo crias doentes ou mortas e removê-las do ninho e vem sendo considerado importante mecanismo de defesa natural a diversas doenças já há algumas décadas. Assim, a resistência a doenças em abelhas A. mellifera é uma característica que está diretamente relacionada com o comportamento higiênico ou de limpeza da colônia, uma vez que, quanto menos foco de infecção existe na colônia, mais sadias estão as abelhas. Embora estudado há anos, há ainda questões a serem esclarecidas quanto à determinação do comportamento higiênico em abelhas e técnicas moleculares modernas como estudo de transcriptoma pode ser ferramenta bastante útil na otimização da busca de tais conhecimentos, uma vez que tal característica comportamental pode apresentar plasticidade etária, além de ser altamente poligênica.Constata-se que falta à apicultura brasileira, a exemplo de outros países, investimentos voltados para programas de melhoramento genético nesta área da ciência, cujo embasamento conta hoje com poderosas ferramentas genômicas, que podem garantir o sucesso de tais programas, com economia de tempo e de mão de obra de tais testes em campo. Especificamente no caso de comportamento higiênico, pode ser possível a identificação de alguns locos específicos e, assim, se efetuar a seleção assistida por marcadores, que pode ser o passo inicial para o desenvolvimento de novos estudos que, no futuro, possibilitem a implementação da seleção genômica nessa espécie. Saliente-se ainda a importância de buscarmos alternativas para obtenção de linhagens de abelhas resistentes a doenças como estratégia que se opõe ao uso de medicamentos, garantindo assim a isenção de resíduos em produtos apícolas e aumento de efetivo de polinizadores. Fica claro a importância de estudos que aprofundem os conhecimentos da base genética que desencadeia tal comportamento, buscando, por meio de ferramentas genômicas, a obtenção de linhagens resistentes. Este trabalho tem como objetivos identificar, de forma inédita, genes relacionados ao comportamento higiênico em abelhas A. mellifera por meio de técnica de RNA-seq, evidenciando a validação da técnica por meio de qRT-PCR e análise de expressão de tais genes em tecido específico, a despeito das diferenças de tecnologias, as quais podem ser complementares. Pretende-se ainda disponibilizar os conhecimentos gerados para aplicação à seleção assistida por marcadores, contribuindo para elevação de produtividade dos apicultores não apenas do Estado de São Paulo, mas de todo o país, por meio de disponibilização e difusão por parte de Instituição Pública de Pesquisa de São Paulo, de rainhas selecionadas e melhoradas para característica de resistência a doenças, de forma a evitar o uso de quimioterápicos e seus resíduos em produtos apícolas ou gerar resistência pelas abelhas.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.