Busca avançada
Ano de início
Entree

Nanopartículas lipídicas como carreadores de triterpenos para o tratamento da leishmaniose visceral experimental

Processo: 16/10324-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2016
Vigência (Término): 19 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Luiz Felipe Domingues Passero
Beneficiário:Jéssica Adriana de Jesus
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/04080-2 - Preparação e caracterização físico química de nanopartículas lipídicas como carreadores de triterpenos para o tratamento da leishmaniose visceral, BE.EP.DR
Assunto(s):Triterpenos   Hamsters

Resumo

As leishmanioses são antropozoonoses consideradas um grave problema de saúde pública, que representam um complexo de doenças com importante espectro clínico e diversidade epidemiológica. Os tratamentos atuais não são totalmente efetivos e possuem efeitos tóxicos aos pacientes Além disso, em algumas partes do mundo há relatos de casos de resistência de Leishmania sp., o que nos alerta à necessidade de se encontrar novas alternativas terapêuticas a essa patologia. Com isto em mente, nosso grupo demonstrou que o ácido ursólico apresentou atividade terapêutica nas leishmanioses tegumentar e visceral experimentais. Assim, objetivando aumentar sua eficácia, a presente proposta de doutorado objetiva encapsular em nanopartículas lipídicas sólidas (NLS) e carreadores lipídicos nanoestruturados (CLN), o ácido ursólico bem como outros três triterpenos, cuja ação leishmanicida já foi avaliada: ácido maslínico, betulina e lupeol. Para isso, estes triterpenos serão adquiridos comercialmente, e encapsulados em NLS e CLN. O potencial citotóxico e contra formas promastigotas e amastigotas intracelulares dos triterpenos encapsulados e livres será avaliado. A formulação mais seletiva será escolhida para realização dos estudos in vivo, que serão realizados em hamsters infectados com L. chagasi. Estudos de toxicidade com a formulação mais ativa serão realizados. De nota, este é o primeiro estudo sobre o desenvolvimento de nanosistemas de biodistribuição contendo triterpenóides para o tratamento da leishmaniose visceral.