Busca avançada
Ano de início
Entree

A construção da significação nas interações de pares de bebês, em creche: estudos de caso do Brasil

Processo: 16/10638-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Pesquisador responsável:Katia de Souza Amorim
Beneficiário:Marisa von Dentz
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Significado   Bebês   Creches   Comunicação   Comunicação não verbal

Resumo

A comunicação não verbal é a primeira via de acesso do bebê humano ao outro social, havendo a hipótese de que, já no 1o ano de vida, o bebê interage e se comunica com pares de idade e (co)(des)(re)constrói significação. Entretanto, tal fenômeno tem sido estudado predominantemente na relação do bebê com a mãe, fazendo-se necessárias pesquisas que investiguem contextos e relações diversas como é caso das interações estabelecidas entre pares de bebês em creches, particularmente em situação de transição do cuidado da casa para o compartilhado com a creche. Com essa questão - estudar processos de (co)(re)des)construção de significação entre pares -, este projeto integra proposta multicêntrica internacional que analisa diferentes aspectos no processo de transição do bebê de casa para a creche, em sete países (Brasil, Escócia, Nova Zelândia, Austrália, Samoa, EUA e Finlândia). Sob a perspectiva teórico-metodológica da Rede de Significações, faremos acompanhamento longitudinal de três bebês focais (idade inicial de 5-8 meses) em creche e seus parceiros de idade. Os registros serão feitos por videogravações de 2 horas por dia em oito datas diferentes ao longo de um ano. A análise e discussão dos dados seguirá os passos: (a) mapeamento das interações de cada bebê focal com seus parceiros de idade; (b) investigação dos recursos comunicativos nas interações verificando como se dá a construção de significação na comunicação; (c) seleção de episódios interativos para descrição e análise microgenética; e (d), diálogo entre resultados e dados da literatura, levantando proposições teóricas. As contribuições do trabalho podem preencher lacunas da literatura sobre o tema e resultar em subsídios práticos para o trabalho com bebês na educação coletiva, além de possibilitar divulgação em colaboração com outras culturas sobre tais processos e contribuir no Brasil com o processo de internacionalização das pesquisas. (AU)