Busca avançada
Ano de início
Entree

Segurança e eficácia clínica de formulações dermocosméticas contendo biocompostos obtidos de microalgas

Processo: 16/22000-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 30 de janeiro de 2017
Vigência (Término): 29 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:André Rolim Baby
Beneficiário:Ana Lucia Morocho Jacome
Supervisor no Exterior: Catarina Batista Fialho Rosado
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Portugal  
Vinculado à bolsa:15/11194-6 - Produção e avaliação de microalgas como insumos para a indústria de cosméticos, BP.PD
Assunto(s):Microalgas   Cosméticos   Biomassa

Resumo

Microalgas são organismos eucariontes, unicelulares e fotossintetizantes que apresentam grande potencial para produção de ácidos graxos, pigmentos como os carotenóides e clorofila, bem como outros metabolitos de interesse na indústria de alimentos, farmacêutica e de cosméticos. Há poucos registros na literatura evidenciando o uso de microalgas em preparações cosméticas, e também não há informações da segurança e eficácia desses produtos. Este projeto se propõe a buscar o potencial biotecnológico de duas espécies de microalgas Neochloris oleoabundans UTEX 1185 e Ankistrodesmus braunni UTEX 245 visando sua aplicação na indústria de cosméticos. A biomassa e/ou seus biocompostos serão incorporados em formulações cosméticas. Para a avaliação da segurança e eficácia clínica das mesmas, torna-se essencial a realização de estágio de pesquisa no exterior no Centro de Excelência Acadêmica e Científica - CBIOS, Centre for Research in Biosciences & Health Technologies, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa/Portugal. Para tanto, os objetos específicos do estágio em pesquisa no exterior serão: (1) determinação da segurança e eficácia das formulações através de avaliação não invasiva das propriedades biofísicas da pele, conduzida pela utilização de equipamento de bioengenharia cutânea; e (2) determinação de atividade antioxidante/anti-inflamatória in vivo das formulações cosméticas contendo microalgas por meio de metodologia combinando a aplicação de nicotinato de metila e fluximetria de Laser Doppler. Destaca-se que a lei estadual nº 15.316, de 23 de janeiro de 2014 regulamenta a proibição do uso de animais para desenvolvimento, experimento e teste de produtos cosméticos e de higiene pessoal, desta forma, os ensaios propostos neste projeto cumprem dita lei. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)