Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da capacidade da IL-6 em induzir neurogênese no hipotálamo

Processo: 15/17717-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2016
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Eliana Pereira de Araujo
Beneficiário:Vanessa Cristina Dias Bóbbo
Instituição-sede: Faculdade de Enfermagem. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Hipotálamo   Neurogênese   Endocrinologia   Inflamação   Interleucina-6   Obesidade

Resumo

A dieta rica em gordura leva ao desenvolvimento de resistência à ação da leptina e insulina devido à instalação de um processo inflamatório no hipotálamo, colocando esse fenômeno com o elo fundamental no desenvolvimento da obesidade. Além disso, a dieta rica em gordura ativa vias de sinalização apoptóticas que culminam com a morte de neurônios hipotalâmicos, principalmente aqueles responsáveis pelo estímulo anorexigênico. Desta forma a neurogênese hipotalâmica vem ganhando interesse. Estudos demonstraram que em camundongos Knockout para IL-6 há uma diminuição da proteção neuronal às lesões no hipocampo e a superexpressão de IL-6 e do seu receptor solúvel levou a uma maior regeneração de neurônios. Sabe-se também que a IL-6 desempenha função crítica na sobrevivência de neurônios durante o desenvolvimento e na vida adulta após lesão. Portanto, nós aventamos a hipótese que a IL-6 poderia não apenas reduzir a inflamação, mas também aumentar a neurogênese hipotalâmica. Assim, o objetivo central deste estudo é avaliar a capacidade da IL-6 em induzir neurogênese no hipotálamo. Para isto utilizaremos cultura de células neuronais e camundongos Swiss submetidos à dieta hiperlipídica que serão tratados com IL-6 e então avaliados os marcadores de neurogênese. Também será avaliada no hipotálamo desses animais a proliferação celular frente ao tratamento e medidos o consumo e gasto calórico, a massa corpórea, a sensibilidade à leptina e insulina e a intolerância à glicose. Acreditamos que o presente estudo contribuirá para avanços no conhecimento à respeito dos mecanismos envolvidos no desenvolvimento da obesidade induzida por dieta e que abrirá novas perspectivas para a terapêutica da doença.