Busca avançada
Ano de início
Entree

A distribuição de galáxias em grandes escalas e o modelo de halos

Processo: 16/20268-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2016
Vigência (Término): 10 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Astrofísica Extragaláctica
Pesquisador responsável:Luis Raul Weber Abramo
Beneficiário:Gabriela Satie Sato-Polito
Instituição-sede: Instituto de Física (IF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/00800-4 - O universo em 3-D: astrofísica com grandes levantamentos de galáxias, AP.TEM
Assunto(s):Galáxias   Espectros   Formação e evolução da galáxia   Cosmologia (astronomia)

Resumo

No modelo de halos (Halo Model, HM) os objetos fundamentais que utilizamos para traçar as estruturas em grandes escalas do universo são as regiões gravitacionalmente ligadas que já experimentaram colapso gravitacional: aglomerados de galáxias, grupos de galáxias, ou até mesmo galáxias de campo. Do ponto de vista da cosmologia, as estruturas em grandes escalas são caracterizadas principalmente por meio das posições e velocidades dos halos de matéria escura. Os halos de matéria escura perfazem a maior contribuição para os perfis de densidade e os poços de potencial associados, enquanto as galáxias tendem a seguir (ou “traçar”) esses perfis de densidade através de certas distribuições fenomenológicas, denominadas Halo Occupation Distributions (HOD). Apesar de depender da descrição fenomenológica fornecida pelas HODs, esse formalismo é bastante poderoso, pois permite relacionar os objetos mais fundamentais para o cenário de formação de estruturas (os halos) com os objetos observados (as galáxias), assim separando o regime de grandes escalas (nos quais a correlação entre as posições dos halos é fundamental) do regime de pequenas escalas (onde o perfil de densidade dos halos determina a distribuição de galáxias dentro desses halos). O objetivo desta Iniciação Científica é estudar essa descrição da distribuição de galáxias no universo. A principal aplicação, a ser desenvolvida na fase final do projeto, é utilizar simulações simples para comparar as medidas do espectro de potência de diferentes tipos de galáxias (com HODs distintas) com as medidas obtidas substituindo as galáxias pelos halos. Quando possível, faremos referência a levantamentos de galáxias atuais ou futuros. (AU)