Busca avançada
Ano de início
Entree

Estabilidade e comportamento reológico de emulsões de óleo de buriti (Mauritia flexuosa) contendo proteína de grão-de-bico e pectina

Processo: 16/19354-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2016
Vigência (Término): 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Pesquisador responsável:Vânia Regina Nicoletti Telis
Beneficiário:Aline Cássia Figueira
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Proteínas   Potencial zeta   Polissacarídeos   Buriti   Estabilidade proteica   Emulsificantes   Grão-de-bico

Resumo

O óleo de buriti desperta interesse em pesquisas pelo fato de ser composto por ácidos graxos, carotenoides e tocoferóis, dando-lhe um especial valor nutritivo. Entretanto, carotenoides e tocoferóis são relativamente instáveis e a tecnologia de emulsões apresenta-se como uma forma adequada de encapsular, proteger e liberar esses compostos para o uso nas indústrias de alimentos. Para garantir a estabilidade de emulsões, é necessário adicionar emulsificantes e/ou estabilizantes. A pectina é o estabilizante mais comumente utilizado em bebidas ácidas a base de proteína, podendo formar complexos em pH ácido. As proteínas mais utilizadas atualmente pela indústria são derivadas principalmente de soro de leite, soja e trigo. No entanto, devido a restrições dietéticas e preferências, os fabricantes de alimentos e consumidores estão à procura de fontes de proteínas alternativas. Nesse contexto, o grão-de-bico é adequado para preparação de isolado proteico devido seu alto teor de proteínas e baixo custo. Além disso, a proteína de grão-de-bico é uma alternativa promissora para pessoas que possuem restrições alimentares. Investigar o comportamento reológico de emulsões possui suma importância na indústria, já que este é necessário para dimensionar operações que dependam do modo como o produto escoa. Assim, este projeto tem como objetivo produzir emulsões de óleo de buriti estabilizadas por proteína de grão-de-bico e pectina de baixa metoxilação em função da concentração do sistema e avaliar a estabilidade e o comportamento reológico dessas emulsões. (AU)